Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Venezuela teve inflação de 2.616% e queda do PIB de 15% em 2017, diz Parlamento - Jornal Brasil em Folhas
Venezuela teve inflação de 2.616% e queda do PIB de 15% em 2017, diz Parlamento


A Venezuela fechou 2017 com uma inflação de 2.616% e uma queda do Produto Interno Bruto (PIB) de 15%, segundo cálculos de uma comissão especializada do Parlamento, de maioria opositora.

O índice de inflação para dezembro (passado) foi de 85%, com uma inflação acumulada em 2017 de 2.616%, indicou à imprensa nesta segunda-feira o deputado opositor Rafael Guzmán.

A Venezuela ainda teve uma queda do PIB de 15% no ano passado, afirmou o legislador, membro da Comissão de Finanças do Parlamento, que divulga indicadores econômicos - já que o Banco Central não os publica há dois anos.

A indústria petroleira - responsável por 96% da receita do país - produz 1,9 milhão de barris diários, segundo a última cifra oficial divulgada. A redução da produção foi de mais de 400 mil barris diários no ano passado, segundo o Parlamento.

O governo, que não reconhece o Parlamento, culpa o colapso dos preços do petróleo e uma guerra econômica de empresários de direita pela grave crise.

Em 2017, Maduro anunciou seis aumentos salariais, o último, em 31 de dezembro, que definiu o salário mínimo integral (salário mais bônus alimentar) em 797.510 bolívares (238 dólares na taxa oficial e seis dólares no mercado negro).

Não há aumento salarial que possa combater esta situação, disse Guzmán, observando que a Venezuela é o único país do mundo com hiperinflação.

O deputado José Guerra, presidente do Comitê de Finanças, disse que para interromper a hiperinflação é preciso desmantelar o sistema de controle cambial vigente há 15 anos, no qual o governo monopoliza as moedas.

Diante da falta de dólares, muitos empresários recorrem ao mercado negro para operar seus negócios, disparando os os preços de bens e serviços.

De acordo com Guerra, o Banco Central deve parar a impressão de dinheiro inorgânico, e o governo precisa refinanciar a dívida externa, estimada em cerca de 150 bilhões de dólares.

Estamos falando de uma inflação que pode passar de 10.000% se o Banco Central continuar financiando o governo, afirmou Guerra.

Segundo o FMI, a inflação da Venezuela vai chegar a 2.350% em 2018. O organismo estimou uma queda do PIB de 12% em 2017 e de 6% para o próximo ano.

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212