Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 As Novas Rotas da Seda, o ambicioso projeto da China - Jornal Brasil em Folhas
As Novas Rotas da Seda, o ambicioso projeto da China


As chamadas Novas Rotas da Seda são um conjunto de ambiciosos projetos de infraestrutura promovidos pelo governo de Pequim com o objetivo de consolidar as relações da China com a Ásia, a Europa e a África.

A iniciativa, lançada em 2013 pelo presidente Xi Jinping, é conhecida na China como o cinturão e a rota, uma referência ao cinturão terrestre que une China e Europa através da Ásia Central, incluindo a Rússia, e a rota marítima que permite chegar à África e à Europa pelo mar.

Ao todo, 65 países, que representam 60% da população e cerca de um terço do PIB mundiais, participam da iniciativa, acompanhada de enormes investimentos da China.

Em maio, Xi organizou em Pequim uma cúpula mundial sobre o tema, e prometeu 100 bilhões de iuanes (cerca de 15,5 bilhões de dólares) para um fundo específico.

Além disso, os bancos chineses vão conceder 380 bilhões de iuanes (cerca de 60 bilhões de dólares) em empréstimos, anunciou o presidente chinês.

Esses são os principais projetos:

- Ferrovias -

A China já está conectada por trem com cerca de 30 cidades europeias, em viagens que duram menos de três semanas. É um meio de transporte mais rápido que o navio, embora seja mais caro.

Entre os novos projetos planejados, há uma linha férrea de 873 quilômetros para ligar a China à costa da Tailândia.

No Quênia, a China também está financiando uma linha de 471 quilômetros que vai ligar Nairóbi, a capital, com o porto de Mombaça, na costa do Índico.

- Portos -

Na Turquia, três empresas públicas chinesas compraram o terceiro porto mais importante do país, Kumport, perto de Istambul, considerado um importante elo entre o cinturão e a rota

No Paquistão, há um projeto de unir o porto de Gwadar, perto da fronteira com o Irã, ao oeste da China, graças à renovação de 500 quilômetros de estradas.

Este porto vai facilitar o acesso dos produtos chineses ao Oriente Médio em relação à rota atual, que atravessa o Estreito de Malaca, entre a Malásia e a Indonésia. Este projeto também inclui a construção de um aeroporto em Gwadar.

Contudo, a Índia foi contrária porque parte da infraestrutura atravessa a região da Caxemira, reivindicada pelo governo indiano.

- Parques industriais -

Em Minsk, a capital da Bielorrússia, a China está construindo um parque industrial de alta tecnologia, o maior já lançado no exterior pelas autoridades chinesas.

Um projeto similar está em construção em Kuantan, na Malásia, para tratar o aço, alumínio e óleo de palma.

 

Últimas Notícias

John Forman recusa cargo no Conselho de Administração da Petrobras
Em visita oficial, Macri é recebido no Planalto por Bolsonaro
Mercado financeiro prevê inflação em 4,02% neste ano
Consultas de CPFs para vendas a prazo no comércio crescem 2,8%
Produção de bicicletas aumenta 15,9% no Brasil
Receita abre consulta a restituição do Imposto de Renda de 2008 a 2018
Ex-comandante da Marinha é indicado para o conselho da Petrobras
Inflação para idosos fecha 2018 em 4,75%, informa FGV

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212