Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 As Novas Rotas da Seda, o ambicioso projeto da China - Jornal Brasil em Folhas
As Novas Rotas da Seda, o ambicioso projeto da China


As chamadas Novas Rotas da Seda são um conjunto de ambiciosos projetos de infraestrutura promovidos pelo governo de Pequim com o objetivo de consolidar as relações da China com a Ásia, a Europa e a África.

A iniciativa, lançada em 2013 pelo presidente Xi Jinping, é conhecida na China como o cinturão e a rota, uma referência ao cinturão terrestre que une China e Europa através da Ásia Central, incluindo a Rússia, e a rota marítima que permite chegar à África e à Europa pelo mar.

Ao todo, 65 países, que representam 60% da população e cerca de um terço do PIB mundiais, participam da iniciativa, acompanhada de enormes investimentos da China.

Em maio, Xi organizou em Pequim uma cúpula mundial sobre o tema, e prometeu 100 bilhões de iuanes (cerca de 15,5 bilhões de dólares) para um fundo específico.

Além disso, os bancos chineses vão conceder 380 bilhões de iuanes (cerca de 60 bilhões de dólares) em empréstimos, anunciou o presidente chinês.

Esses são os principais projetos:

- Ferrovias -

A China já está conectada por trem com cerca de 30 cidades europeias, em viagens que duram menos de três semanas. É um meio de transporte mais rápido que o navio, embora seja mais caro.

Entre os novos projetos planejados, há uma linha férrea de 873 quilômetros para ligar a China à costa da Tailândia.

No Quênia, a China também está financiando uma linha de 471 quilômetros que vai ligar Nairóbi, a capital, com o porto de Mombaça, na costa do Índico.

- Portos -

Na Turquia, três empresas públicas chinesas compraram o terceiro porto mais importante do país, Kumport, perto de Istambul, considerado um importante elo entre o cinturão e a rota

No Paquistão, há um projeto de unir o porto de Gwadar, perto da fronteira com o Irã, ao oeste da China, graças à renovação de 500 quilômetros de estradas.

Este porto vai facilitar o acesso dos produtos chineses ao Oriente Médio em relação à rota atual, que atravessa o Estreito de Malaca, entre a Malásia e a Indonésia. Este projeto também inclui a construção de um aeroporto em Gwadar.

Contudo, a Índia foi contrária porque parte da infraestrutura atravessa a região da Caxemira, reivindicada pelo governo indiano.

- Parques industriais -

Em Minsk, a capital da Bielorrússia, a China está construindo um parque industrial de alta tecnologia, o maior já lançado no exterior pelas autoridades chinesas.

Um projeto similar está em construção em Kuantan, na Malásia, para tratar o aço, alumínio e óleo de palma.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212