Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Chefe de Yakuza identificado por tatuagens é preso na Tailândia - Jornal Brasil em Folhas
Chefe de Yakuza identificado por tatuagens é preso na Tailândia


Um yakuza japonês que fugiu para a Tailândia há 13 anos foi preso graças às fotos de suas tatuagens, que viralizaram na internet.

Shigeharu Shirai, de 72 anos, foi preso na quarta-feira em Lopburi, uma pequena cidade no centro da Tailândia, conhecida pelas centenas de macacos que passeiam por suas ruas.

O suspeito admitiu ser o chefe da Yakuza Kodokai, indicou nesta quinta-feira Wirachai Songmetta, porta-voz da polícia tailandesa. Esta facção faz parte de um dos grandes grupos da Yakuza, o Yamaguchi-gumi.

As autoridades procuravam Shirai por, entre outros crimes, seu papel no assassinato de um rival em 2003. O suspeito não confessou o assassinato, mas reconheceu que a vítima o ameaçava, acrescentou o porta-voz da polícia.

Pouco depois do assassinato, Shigeharu Shirai desapareceu e refugiou-se na Tailândia, onde se casou.

O segredo de seu paradeiro parecia bem guardado até que um jornal local publicou uma foto desse homem magro jogando damas na rua, com o corpo cheio de tatuagens e uma das mãos sem o dedo mínimo, o popular mindinho.

A imagem foi compartilhada mais de 10.000 vezes na internet e chamou a atenção da polícia japonesa, que pediu às autoridades tailandesas que o investigassem.

Shigeharu Shirai, que não tinha passaporte ou visto, foi preso, oficialmente por ter entrado ilegalmente no país e será extraditado para o Japão.

De acordo com a polícia tailandesa, o gângster era discreto desde a sua chegada ao país, há 13 anos, e recebia dinheiro de um japonês que o visitava duas ou três vezes por ano.

Como os mafiosos italianos ou a tríade chinesa, os yakuzas japoneses vivem principalmente de jogos de azar, drogas e prostituição, mas também participam de operações imobiliárias ou de extorsão de empresas.

 

Últimas Notícias

Chega a 73 o número de mortos em explosão no México; feridos somam 74
Forte terremoto de magnitude 6,7 atinge o Chile
Mais de 150 imigrantes se afogam no Mar Mediterrâneo
Brasil e Europa vão ser interligados por novo cabo submarino
Acordo para mudar nome da Macedônia gera protestos em Atenas
Ghosn está disposto a aceitar qualquer condição para obter fiança
Bombeiros buscam pessoa desaparecida depois de tromba dágua no Rio
Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 38 milhões na quarta-feira

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212