Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Jan de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Trump tenta minimizar escândalo após menção a países de merda - Jornal Brasil em Folhas
Trump tenta minimizar escândalo após menção a países de merda


Donald Trump tentava nesta sexta-feira (12) se descolar do escândalo provocado por sua menção a países de merda, em uma referência a Haiti, El Salvador e a nações africanas, declaração que um funcionário de alto nível da ONU denunciou como racista.

Hoje pela manhã, Trump recorreu a sua arma favorita - o Twitter - para se defender e negar a declaração. Rapidamente foi desmentido por um senador do Partido Democrata que esteve nessa reunião e confirmou a versão.

Em uma primeira mensagem, Trump admitiu que foram ditas coisas duras em uma reunião na Casa Branca ontem pra discutir imigração, mas garantiu que essa não foi a linguagem usada.

Uma hora mais tarde, Trump voltou ao tema no Twitter para assegurar que nunca disse qualquer coisa depreciativa sobre os haitianos, além de dizer que o Haiti é, obviamente, um país muito pobre e com muitos problemas.

Pouco depois, porém, o senador democrata Rick Durbin, que participou da reunião, disse que Trump de fato se referiu a países de merda e que fez isso mais de uma vez.

Trump tuitou esta manhã negando que usou essas palavras. Não é verdade. Ele disse essas coisas cheias de ódio, e as disse repetidamente (...) Deu essas declarações vis e vulgares, chamando essas nações de países de merda, lamentou Durbin.

Diversas fontes apontam que Trump se referia a nações africanas, ao Haiti e a El Salvador.

Por que todas essas pessoas de países de merda vêm aqui?, teria dito Trump, acrescentando que queria imigrantes de países nórdicos, como a Noruega.

- Indignação global -

Em poucas horas, o escândalo se tornou internacional, com uma forte onda de indignação com as declarações do presidente americano.

Em Genebra, o porta-voz do alto comissário para Direitos Humanos da ONU, Rupert Colville, classificou as palavras de Trump como vergonhosas.

Se se confirmarem, são comentários escandalosos e vergonhosos por parte do presidente dos Estados Unidos. Sinto muito, mas a única palavra que se pode usar é racista, frisou.

Para Colville, a visão manifesta em suas declarações mostram o pior lado da humanidade, validando e estimulando o racismo e a xenofobia.

Em Porto Príncipe, o governo do Haiti emitiu uma nota enérgica, na qual considerou inaceitáveis as declarações odiosas e abjetas de Trump, por considerar que refletem uma visão simplista e racista completamente equivocada.

O governo de El Salvador também protestou hoje.

El Salvador exige respeito à dignidade de seu nobre e corajoso povo, disse o presidente Salvador Sánchez Cerén, ao ler um comunicado durante um ato público em San Salvador.

As expressões agridem a dignidade dos cidadãos salvadorenhos, completou.

Tendo esperado prudentemente por um pronunciamento oficial do governo dos Estados Unidos para esclarecê-las, ou desmenti-las, e ao ter conhecimento unicamente pelas redes sociais de algumas reações do presidente Trump, onde aceita implicitamente o uso de termos duros em detrimento da dignidade de El Salvador e de outros países, (o governo) expressa sua rejeição inequívoca a esse tipo de afirmação, reforça o comunicado.

Em Adis Abeba, a União Africana condenou as declarações ofensivas e perturbadoras do presidente americano.

Na minha opinião, não é apenas ofensivo para as pessoas de origem africana nos Estados Unidos, mas também para os cidadãos africanos, disse à AFP Ebba Kalondo, porta-voz do presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki.

Isso é ainda mais ofensivo dada a realidade histórica do número de africanos que chegaram aos Estados Unidos como escravos, acrescentou.

- Não é bem-vindo a Londres -

Em Londres, o prefeito Sadiq Khan celebrou a decisão de Trump de cancelar uma visita à cidade, porque não é bem-vindo lá.

Muitos londrinos deixaram claro que Donald Trump não é bem-vindo (...) Parece que, finalmente, entendeu, afirmou o prefeito, embora a suspensão da viagem esteja relacionada com uma polêmica sobre a sede da nova embaixada americana em Londres.

Nos EUA, as reações também não demoraram a aparecer.

Nascido em Chicago e filho de pais porto-riquenhos, o congressista democrata Luis Gutiérrez comentou que agora se pode dizer com 100% de certeza que o presidente é um racista.

Tenho vergonha do nosso presidente, acrescentou.

A onda de indignação também imperava entre os republicanos. A legisladora Mia Love, de família haitiana, disse que a declaração de Trump era divisiva e defendeu que um pedido de desculpas é imperativo.

Para Tim Scott, o único senador negro entre os republicanos, as declarações de Trump são decepcionantes.

- Em busca de um acordo -

Na quinta-feira, Trump recebeu na Casa Branca um grupo de congressistas democratas e republicanos para tentar chegar a um acordo sobre uma lei geral migratória.

O republicano Lindsey Graham e o democrata Durbin tentavam alinhavar o acordo, mas, ao chegarem à Casa Branca, observaram que Trump estava acompanhado de outros legisladores que defendem linha dura com os imigrantes.

O acordo tenta chegar a uma saída para a situação dos cerca de 680 mil jovens que ingressaram de forma irregular no país ainda crianças e que regularizaram seu status com o programa DACA, aprovado durante o governo de Barack Obama e cancelado por Trump.

 

Últimas Notícias

Marlúcio antecipa voto e diz que é contra reajuste da tarifa de ônibus
Revolta com Woody Allen cresce à medida que filha reafirma abuso
Ellen Pompeo assina mais duas temporadas de Greys Anatomy por US$ 20 mi ao ano
Brigitte Bardot critica atrizes que provocam para conseguir papel
Filha de Woody Allen reafirma ter sido abusada pelo cineasta em entrevista
Após acusações de filha de Woody Allen, Hollywood se afasta do diretor
Após 950 anos, França irá emprestar Tapeçaria de Bayeux ao Reino Unido
Veja como é o teste que Trump fez para detectar distúrbios cognitivos

MAIS NOTICIAS

 

Tantas pontuações já não significam nada, afirma premiado chef francês
 
 
Leonardo DiCaprio protagonizará filme de Tarantino sobre Charles Manson
 
 
DiCaprio vai estrelar filme de Tarantino sobre assassinatos de Charles Manson
 
 
Palestinos buscam dar uma resposta a Trump sobre Jerusalém
 
 
Países e organizações indignados com Trump por declarações racistas
 
 
Oliver Stone assina petição para que Lula possa disputar eleição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 4018-8212