Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Goiás investe R$ 80 mi na construção de Cases para menores em conflito com a lei - Jornal Brasil em Folhas
Goiás investe R$ 80 mi na construção de Cases para menores em conflito com a lei


O Governo de Goiás investiu, em 2017, quase R$ 80 milhões na construção, ampliação e adequação de unidades socioeducativas para menores em conflito com a lei. São oito Centros de Atendimento Socioeducativos (Cases), e duas casas de semiliberdade. Uma será inaugurada na próxima sexta-feira (19), localizada no setor Chácara do Governador.

As unidades são coordenadas por um grupo específico criado pela Secretaria Cidadã, o Grupo Executivo de Apoio à Criança e ao Adolescente (Gecria). Durante 2017, o Gecria atuou na adequação, ampliação e reforma do Case de Goiânia, que já foi entregue e está funcionando, com investimento de R$ 2.870.768,10; e na conclusão e modernização do Case de Anápolis, também já em funcionamento, com capacidade de 66 vagas para o público juvenil masculino e 14 para o feminino.

O Gecria trabalhou, também, na construção da Casa de Semiliberdade situada no setor Chácara do Governador, com investimento de R$ 736.072,99; na construção de uma Casa de Semiliberdade no setor Cidade Jardim, no valor de R$ 744.912,05, e deu andamento às obras dos Cases de Caldas Novas, Itaberaí, Porangatu, Rio Verde, São Luis de Montes Belos. Em Anápolis, o Centro Socioeducativo local já foi entregue.

Chácara do Governador

A Casa de Semiliberdade vai ofertar 20 vagas para menores do público masculino em conflito com a lei. Estão sendo investidos R$ 739 mil, em uma área de 298 metros, em padrões preconizados pelo Estatuto da Criança e Adolescente (ECA). Diferentemente do Case, na Casa de Semiliberdade os jovens vivem sob o seguinte regime: participam de atividades socioeducativas externas durante o dia, frequentam escolas e cursos de educação profissional, e retornam para dormir na casa. Nos Cases, o regime é fechado por um período de até três anos.

 

Últimas Notícias

Michelle Bolsonaro e Marcela Temer visitam o Palácio da Alvorada
STF adia decisão definitiva sobre decreto de indulto natalino
Empresário repassou mansão a Adriana Ancelmo, diz delator
Audiência debate mudanças no currículo dos cursos de engenharia
Presidente eleito se reúne com Mozart Ramos, do Instituto Ayrton Senna
MP quer multar prefeitura de SP por falta de manutenção de viadutos
Criação de emprego formal desacelera 24,6% em outubro, revela Caged
Fábio Ramalho considera normal sua candidatura à presidência da Câmara

MAIS NOTICIAS

 

Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
 
 
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
 
 
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
 
 
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados
 
 
Bolsonaro confirma Mandetta para a Saúde
 
 
México habilita 26 empresas brasileiras para compra de carne de frango

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212