Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Conselho Eleitoral do Equador nega registro de partido de Correa - Jornal Brasil em Folhas
Conselho Eleitoral do Equador nega registro de partido de Correa


O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) do Equador informou nesta quarta-feira (17) que negou o registro do novo partido do ex-presidente Rafael Correa, que, em meio a uma crise governista, se desfiliou do movimento que ele próprio fundou e com o qual governou por uma década.

A autoridade eleitoral alegou descumprimentos legais e regulamentares para bloquear o trâmite de inscrição do Partido Revolução Cidadã, o mesmo nome com que Correa batizou seu projeto nacionalista de esquerda, que aplicou ao governar entre janeiro de 2007 e maio de 2017.

Ontem, o CNE também nega usar o nome Revolução Cidadã, argumentando que é o slogan de outro movimento político. É uma atrocidade jurídica mais, visto que não está registrado nem como nome, nem como slogan. Até quando?!, reagiu Correa no Twitter nesta quarta.

O máximo Tribunal Contencioso Eleitoral (TCE) reconheceu na segunda-feira a diretriz da Aliança País (AP), ligada ao presidente Lenín Moreno, que mantém uma queda de braço com Correa, provocando um racha na situação.

Poderão ficar com o nome, com as sedes, com o cacife do AP, mas as convicções, o povo, a Revolução e o futuro estão conosco, escreveu Correa também no Twitter.

Nas eleições de 2017, a AP conseguiu a maioria na Assembleia Nacional, com 74 dos 137 assentos, mas com o racha no governo, boa parte do bloco declarou apoio a Moreno.

A parlamentar correísta Gabriela Rivadeneira manifestou nesta quarta que a negativa do CNE em aprovar o registro do Partido da Revolução Cidadã é uma artimanha para atrasar o processo (político de Correa).

Continuaremos focados na campanha pelo Não, prosseguiu Rivadeneira, em alusão ao referendo de 4 de fevereiro, convocado por Moreno para suprimir a reeleição por tempo indeterminado, o que inabilitará o ex-presidente tentar voltar ao poder.

Correa e Moreno foram aliados até o último mês de maio, quando o novo governo tomou posse e o atual presidente começou a se distanciar de seu agora ex-companheiro de partido.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212