Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Manifestantes condenados à prisão por ficarem nus em Auschwitz - Jornal Brasil em Folhas
Manifestantes condenados à prisão por ficarem nus em Auschwitz


Dois manifestantes do grupo Love Macht Frei, que ficaram nus há um ano na entrada do campo de extermínio nazista de Auschwitz, foram condenados nesta quarta-feira (17) a penas de prisão por um tribunal local por ofensa a este local de memória da Humanidade.

Dois membros deste grupo informal, ambos bielorrussos instalados na Polônia, identificados apenas como Adam B. e Mikita V., foram condenados a um ano e meio de prisão e um ano e dois meses, respectivamente.

Outros dez, com entre 20 e 27 anos, incluindo um cidadão alemão, foram multados em 10.000 zlotys (2.400 euros), para obras públicas.

Eles também deverão pagar ao Museu de Auschwitz 330 euros cada em indenização.

Em março de 2017, os membros do grupo tiraram as roupas e se amarraram. Eles penduraram uma bandeira branca com a inscrição Love em vermelho no topo do portal do antigo campo nazista com a notória inscrição Arbeit Macht Frei (O trabalho liberta, em alemão) e mataram uma ovelha.

Após o anúncio do veredicto, Mikita V. disse que o tribunal os condenou injustamente, por uma ação artística.

Por terem infligido sofrimento à ovelha, foram privados do direito de possuir um animal por dez anos e cada um terá que pagar cerca de 500 euros para uma associação de proteção dos animais.

O procurador Mariusz Slomka, que pediu sentenças mais rigorosas, ressaltou em sua acusação que Auschwitz é um local de memória da Humanidade, símbolo de martírio, um cemitério para milhares de seres humanos.

Mikita V. e Adam B. explicaram que agiram por uma boa causa e disseram se arrepender do sofrimento do animal.

Entre 1940 e o início de 1945, cerca de 1,1 milhão de pessoas, incluindo um milhão de judeus europeus, foram exterminadas em Auschwitz. Cerca de 80 mil poloneses não-judeus, 25 mil gregos e 20 mil soldados soviéticos também foram mortos neste campo liberado pelo exército vermelho em 27 de janeiro de 1945.

 

Últimas Notícias

Mercado financeiro prevê inflação em 4,02% neste ano
Consultas de CPFs para vendas a prazo no comércio crescem 2,8%
Battisti ficará em isolamento por um ano em prisão na Sardenha
CNN Brasil será lançado neste ano
Toffoli nega habeas corpus preventivo para Battisti
ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212