Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Parlamento catalão volta a funcionar com separatistas na presidência - Jornal Brasil em Folhas
Parlamento catalão volta a funcionar com separatistas na presidência


O Parlamento regional da Catalunha iniciou nesta quarta-feira (17), por volta das 11h locais (8h, horário de Brasília), a plenária de constituição da câmara, mais uma vez dominada pelos partidos separatistas que proclamaram a independência do restante da Espanha em outubro passado.

Nas eleições regionais de 21 de dezembro, os separatistas renovaram sua maioria absoluta, com 70 deputados de 135. Apenas oito deles não conseguiram assistir à sessão, porém, por estarem detidos, ou na Bélgica. Entre eles está o líder separatista Carles Puigdemont, que quer exercer a Presidência a distância, da Bélgica, onde se encontra no momento.

Em seus lugares vazios, seus companheiros colocaram grandes fitas amarelas, que se tornaram símbolo dos separatistas para reivindicar a libertação dos políticos presos e o fim da perseguição judicial contra seus líderes.

Deveria dizer bom dia ao presidente da Generalitat (o Executivo catalão) e aos membros do governo, mas já viram que não estão aqui, afirmou o separatista Ernest Maragall, discursando na sessão inaugural por ser o deputado mais velho.

É a primeira vez que uma sessão de constituição de uma legislatura é realizada com o banco do governo vazio, acrescentou.

Hoje, os partidos separatistas conseguiram a presidência da Casa. Nos próximos dias, o Legislativo catalão deve eleger o presidente regional, cargo almejado por Puigdemont.

O deputado Roger Torrent, do partido Esquerra Republicana de Cataluya (ERC), obteve 65 votos contra 56 para o candidato antisecessão.

O Executivo separatista presidido por Puigdemont, que organizou o inconstitucional referendo de autodeterminação de 1º de outubro e levou a região a declarar a secessão em 27 de outubro, foi destituído pelo governo espanhol de Mariano Rajoy.

Dois de seus membros estão em prisão preventiva em Madri, enquanto outros cinco - incluindo Puigdemont - vivem na Bélgica, foragidos da Justiça espanhola.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212