Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Delegação norte-coreana visita Seul pela 1ª vez em quatro anos para Jogos - Jornal Brasil em Folhas
Delegação norte-coreana visita Seul pela 1ª vez em quatro anos para Jogos


Uma delegação norte-coreana chegou neste domingo (21) a Seul para inspecionar os locais e preparar as manifestações culturais previstas para os Jogos Olímpicos de Inverno, marcando a primeira visita de autoridades de Pyongyang ao Sul em quatro anos.

As emissoras sul-coreanas divulgaram imagens de um grupo de sete pessoas cruzando a fronteira entre os dois países em um ônibus interurbano, antes de chegar à estação de trem de Seul uma hora depois.

Escoltada por centenas de agentes da polícia sul-coreana, a delegação subiu em um trem com destino a Gangneung, no leste do país, um dos locais onde acontecem os Jogos Olímpicos (9-25 de fevereiro), perto de Pyeongchang.

O grupo era comandado por Hyon Song-Wol, líder do Moranbong, uma banda pop integrada inteiramente por mulheres, muito popular na Coreia do Norte.

Hyon, que dizem ter sido namorada do líder norte-coreano, Kim Jong-un, usava um sobretudo preto e um cachecol quando embarcou no trem, sem se dirigir aos jornalistas presentes na estação.

Trata-se da primeira visita ao Sul de responsáveis norte-coreanos desde que Moon Jae-in chegou à Presidência do país, em maio de 2017, defendendo uma retomada do diálogo com o Norte.

A visita é feita duas semanas depois que a Coreia do Norte aceitou participar dos Jogos Olímpicos de Inverno.

Seul e os organizadores esperam fazer desse evento os Jogos da paz e que ele sirva para diminuir as tensões na península. Os últimos meses foram marcados por uma escalada decorrente dos disparos de mísseis e dos testes nucleares por parte de Pyongyang.

Tecnicamente, os dois países continuam em guerra, pois o conflito de 1950-1953 terminou com um armistício, e não com um tratado de paz.

Milhares de pessoas assinaram petições no site da Presidência, pedindo a Moon que descarte os planos.

Seu gabinete anunciou neste domingo estar ciente das críticas, mas defendeu a decisão, já que está dirigida a alcançar a paz e criar entusiasmo por um evento que, por enquanto, não conseguiu atrair muita atenção.

Há um ou dois meses, a península da Coreia enfrentava temores sem precedentes de que explodisse uma guerra depois dos testes nucleares e de mísseis do Norte, indicou seu gabinete, assinalando que muitas nações perguntaram se seria seguro enviar atletas.

Mas a participação do Norte nos deu confiança de que poderíamos ao menos celebrar este evento em paz, acrescentou o comunicado, descrevendo os esforços para assegurar a participação do Norte como um investimento em um futuro de paz.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212