Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


13 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Pesquisa revela: agronegócio é fonte de geração de empregos em Goiás - Jornal Brasil em Folhas
Pesquisa revela: agronegócio é fonte de geração de empregos em Goiás


A participação do agronegócio na economia goiana é de grande destaque. É a principal atividade econômica em 87 dos 246 municípios do Estado e foi responsável por 16,2% do estoque de empregos formais em Goiás, no período de 2010 a 2016, conforme pesquisa divulgada, nesta segunda-feira, dia 22, pelo Instituto Mauro Borges da Secretaria de Gestão e Planejamento (IMB/Segplan).

Apesar da existência de empregos não formais e da mecanização, o resultado do estoque formal de empregos dentro da porteira reflete a importância da produção agropecuária em Goiás, tendo participado, em 2016, com 38,8% do total de empregos formais do agronegócio. O segmento depois da porteira foi o que teve maior participação, com 55,1%, o que demonstra, principalmente, a relevância das agroindústrias. Já o segmento antes da porteira, que são os fornecedores de insumos, máquinas e equipamentos, participou com 6,1%.

De acordo com a superintendente do IMB/Segplan, Lillian Maria Silva Prado, o agronegócio goiano destaca-se no cenário nacional sendo importante gerador de divisas para o Estado por meio de suas exportações, com destaque para os complexos soja e carne.

O município goiano que possui destaque nacional na geração de empregos é Rio Verde. Segundo dados do Produto Interno Bruto (PIB) Municipal 2015, o município possui o terceiro maior Valor Adicionado Agropecuário do país. Esse bom resultado reflete na geração de empregos formais, de forma que Rio Verde é o maior empregador formal na atividade de soja e na criação de gado em Goiás.

Em termos de participação na estrutura econômica, segundo o IBGE (2016), a agropecuária participou com 5% da economia brasileira em 2015 e em Goiás a fatia foi de 10,4%. Embora a agropecuária tenha a menor participação entre os grandes setores econômicos, quando se refere ao agregado agronegócio a participação aumenta significativamente.

No cenário nacional, em 2016, Goiás destacou-se na produção nacional, como segundo maior produtor de sorgo, de tomate e de cana de açúcar, e o quarto maior produtor de soja, segundo dados do IBGE.

O volume de crédito rural aplicado em Goiás representa 8,6% do total de crédito do País. O Estado saltou de R$ 11,2 bilhões em 2013, para R$ 15,1 bilhões em 2017. Desses recursos, 60,8% foram direcionados ao custeio agrícola, 24% ao investimento,14,9% para a comercialização e 0,3% para a industrialização, de acordo com dados do Banco Central. A atividade agrícola é a que mais utiliza os recursos do crédito rural, principalmente para custeio.

Por outro lado, a atividade da pecuária utiliza o crédito rural sobretudo para investimento. Em termos de relevância na utilização desse crédito, Rio Verde, no sudoeste goiano, destaca-se ao ocupar a 3ª posição entre os municípios brasileiros que mais tomaram empréstimos para custeio e para investimento. O município ainda se sobressai na 2ª posição para comercialização, segundo levantamento do Banco Central referente ao volume de crédito rural, no período 2016/2017.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212