Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Opositor venezuelano pede a Piñera ajuda do Chile para enfrentar Maduro - Jornal Brasil em Folhas
Opositor venezuelano pede a Piñera ajuda do Chile para enfrentar Maduro


O ex-prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, que escapou da prisão domiciliar que cumpria na Venezuela em novembro, pediu ao presidente chileno eleito, Sebastián Piñera, para usar sua liderança para frear o que chamou de tirania do governo venezuelano de Nicolás Maduro.

Ledezma, um opositor ao governo de Maduro que fugiu para a Colômbia e depois para a Espanha, se reuniu nesta segunda-feira em Santiago com o direitista Piñera, que pediu auxílio para frear a tirania de alguém que usurpou a presidência da Venezuela.

A Venezuela através da minha voz eleva um grito pedindo ajuda, afirmou Ledezma, em coletiva de imprensa junto com Piñera.

O político venezuelano acusou o governo de Maduro de fechar os caminhos da solução pacífica para superar a crise social e política que a Venezuela vive desde o ano passado, marcada por violentas manifestações que deixaram centenas de pessoas mortas e uma escassez de produtos básicos e medicamentos, em meio a uma crescente inflação.

A quantidade de venezuelanos que morreram por falta alimentos... morreram de fome. Venezuelanos que morrem porque carecem de medicamentos, morrem em hospitais porque não há o remédio a mão para poder superar uma doença, afirmou Ledezma, de 62 anos.

Como futuro presidente do Chile, dentro do marco do direito internacional, e dentro das regras da Unasul, da Celac e do Grupo de Lima, vamos fazer todos os esforços para que a Venezuela recupere sua liberdade, sua democracia e o respeito aos direitos humanos, respondeu Piñera, que assumirá a Presidência chilena em 11 de março.

Piñera substituirá a socialista Michelle Bachelet, e começará seu segundo mandato, depois de ter sido presidente no período 2010-2014.

Assim como Ledezma, dezenas de opositores deixaram a Venezuela em diferentes circunstâncias. Muitos deles manifestam a sua oposição a Maduro do exterior.

Na terça-feira, se reúnem em Santiago os chanceleres dos países do Grupo de Lima, instância de 12 países que articula pressão internacional sobre a Venezuela para que ordene a libertação de detidos por questões políticas e anuncie um calendário eleitoral.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212