Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Opositor venezuelano pede a Piñera ajuda do Chile para enfrentar Maduro - Jornal Brasil em Folhas
Opositor venezuelano pede a Piñera ajuda do Chile para enfrentar Maduro


O ex-prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, que escapou da prisão domiciliar que cumpria na Venezuela em novembro, pediu ao presidente chileno eleito, Sebastián Piñera, para usar sua liderança para frear o que chamou de tirania do governo venezuelano de Nicolás Maduro.

Ledezma, um opositor ao governo de Maduro que fugiu para a Colômbia e depois para a Espanha, se reuniu nesta segunda-feira em Santiago com o direitista Piñera, que pediu auxílio para frear a tirania de alguém que usurpou a presidência da Venezuela.

A Venezuela através da minha voz eleva um grito pedindo ajuda, afirmou Ledezma, em coletiva de imprensa junto com Piñera.

O político venezuelano acusou o governo de Maduro de fechar os caminhos da solução pacífica para superar a crise social e política que a Venezuela vive desde o ano passado, marcada por violentas manifestações que deixaram centenas de pessoas mortas e uma escassez de produtos básicos e medicamentos, em meio a uma crescente inflação.

A quantidade de venezuelanos que morreram por falta alimentos... morreram de fome. Venezuelanos que morrem porque carecem de medicamentos, morrem em hospitais porque não há o remédio a mão para poder superar uma doença, afirmou Ledezma, de 62 anos.

Como futuro presidente do Chile, dentro do marco do direito internacional, e dentro das regras da Unasul, da Celac e do Grupo de Lima, vamos fazer todos os esforços para que a Venezuela recupere sua liberdade, sua democracia e o respeito aos direitos humanos, respondeu Piñera, que assumirá a Presidência chilena em 11 de março.

Piñera substituirá a socialista Michelle Bachelet, e começará seu segundo mandato, depois de ter sido presidente no período 2010-2014.

Assim como Ledezma, dezenas de opositores deixaram a Venezuela em diferentes circunstâncias. Muitos deles manifestam a sua oposição a Maduro do exterior.

Na terça-feira, se reúnem em Santiago os chanceleres dos países do Grupo de Lima, instância de 12 países que articula pressão internacional sobre a Venezuela para que ordene a libertação de detidos por questões políticas e anuncie um calendário eleitoral.

 

Últimas Notícias

Submarino argentino é encontrado um ano e um dia após desaparecimento
Parlamento cubano rejeita resolução da Eurocâmara sobre direitos human
Incêndio da Califórnia registra 74 mortos e mais de mil desaparecidos
Livro mistura suspense e fantasia em reflexão sobre violência no país
EBC e Fundação Getulio Vargas firmam acordo para revitalizar acervo
Trabalho de escoramento em viaduto paulistano prossegue neste sábado
Belo Horizonte tem previsão de mais chuva; temporais já mataram quatro
Prefeito de Mariana diz que não desistirá de ação no Reino Unido

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212