Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Parlamento da Venezuela exige indenizar famílias de Óscar Pérez e companheiros - Jornal Brasil em Folhas
Parlamento da Venezuela exige indenizar famílias de Óscar Pérez e companheiros


O Parlamento da Venezuela, de maioria opositora, exigiu nesta segunda-feira (22) indenizar as famílias do ex-policial rebelado Óscar Pérez e seis companheiros, mortos em uma operação de captura que qualificou de massacre.

O Estado tem a obrigação de indenizar as vítimas de violações dos direitos humanos, disse a deputada opositora Delsa Solórzano, que preside uma comissão parlamentar para investigar a operação policial e militar de segunda-feira passada.

Os filhos dos massacrados têm que ser devidamente indenizados, assim como os parentes, as viúvas, os pais. Estamos requerendo aos organismos correspondentes que garantam estas medidas, acrescentou Solórzano.

O Legislativo é desconhecido pelo governo de Nicolás Maduro depois que o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) declarou nulas todas as suas decisões por desacato em 2016. A governista Assembleia Constituinte, que desde agosto rege no país como um suprapoder, aprova as leis.

Pérez, acusado de terrorismo e declarado o criminoso mais procurado no país, se alçou contra Maduro em meio a protestos opositores que deixaram 125 mortos entre abril e julho de 2017.

Em 27 de junho, ele atacou, de um helicóptero da Polícia Forense, o TSJ e o Ministério do Interior com granadas e armas de fogo, sem deixar vítimas. Em 18 de dezembro amordaçou militares de um quartel junto com seus aliados e roubou armas e munições.

Solórzano denunciou que Pérez e cinco de seus aliados abatidos morreram por disparos na cabeça. A única mulher do grupo, afirmou, faleceu por um tiro na cervical.

Há um padrão. Há jurisprudência suficiente (...) que assinala que quando há este tipo de padrão há justiçamento, sustentou a deputada.

O Parlamento chamou para depor pelo caso o ministro da Defesa, Vladimir Padrino, e o comandante da militar Guarda Nacional, Richard López Vargas. Citações prévias de funcionários de alto escalão, incluindo Maduro, foram ignoradas.

Uma pequena concentração em rechaço à morte de Pérez se desenrolava nesta segunda-feira em Caracas, no entorno da Universidade Central da Venezuela (UCV), a principal do país.

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212