Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Curdos pedem aos EUA para frear ofensiva turca em região síria de Afrin - Jornal Brasil em Folhas
Curdos pedem aos EUA para frear ofensiva turca em região síria de Afrin


Os Estados Unidos têm a responsabilidade moral de pressionar Ancara para frear a ofensiva turca no enclave curdo de Afrin, afirmou nesta terça-feira (23) em Washington a representante desta região do norte da Síria.

A Turquia lançou no sábado uma ofensiva aérea e terrestre neste reduto da Unidades de Proteção do Povo (YPG), uma milícia curda qualificada de terrorista por Ancara, mas apoiada por Washington.

Para nós, os Estados Unidos têm a obrigação moral de proteger a democracia e o sistema democrático nesta região, disse à imprensa Sinam Mohamed, representante da federação curda síria (Rojava).

A Turquia faz parte da Otan e os Estados Unidos devem pressionar seu aliado para frear esta ofensiva que já deixou muitas vítimas civis, acrescentou.

Mas as relações entre Ancara e Washington pioraram fortemente nos últimos meses.

O presidente americano, Donald Trump, expressará a seu contraparte turco, Recep Tayyip Erdogan, sua preocupação com esta ofensiva durante uma conversa por telefone que manterão na quarta-feira, anunciaram funcionários de alto escalão do país americano.

Washington já pediu a Ancara que aja com moderação, enquanto reconhecia o direito legítimo da Turquia de se proteger.

Ancara acusa as YPG de serem o braço sírio do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que promovem uma guerrilha em solo turco desde 1984.

Para os governantes locais dessa região fronteiriça com a Turquia, a federação é uma experiência democrática que poderia servir de exemplo ao resto da Síria quando o país superar a guerra civil desatada em 2011.

As YPG não dispararam uma só bala na direção da Turquia em Afrin, assegurou Mohamed, para quem o PKK é um problema interno da Turquia.

Ancara lançou sua ofensiva depois que a coalizão internacional anti-extremista conduzida por Washington anunciou a criação de uma força fronteiriça de 30 mil homens integrada, entre outros, pelos combatentes curdos, o que suscitou a ira das autoridades turcas.

As YPG são a coluna vertebral de uma aliança entre curdos e árabes apoiada por Washington na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico na Síria.

Mas em Afrin os curdos não contam com o respaldo americano e devem combater as forças turcas e seus aliados árabes sírios.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212