Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Curdos pedem aos EUA para frear ofensiva turca em região síria de Afrin - Jornal Brasil em Folhas
Curdos pedem aos EUA para frear ofensiva turca em região síria de Afrin


Os Estados Unidos têm a responsabilidade moral de pressionar Ancara para frear a ofensiva turca no enclave curdo de Afrin, afirmou nesta terça-feira (23) em Washington a representante desta região do norte da Síria.

A Turquia lançou no sábado uma ofensiva aérea e terrestre neste reduto da Unidades de Proteção do Povo (YPG), uma milícia curda qualificada de terrorista por Ancara, mas apoiada por Washington.

Para nós, os Estados Unidos têm a obrigação moral de proteger a democracia e o sistema democrático nesta região, disse à imprensa Sinam Mohamed, representante da federação curda síria (Rojava).

A Turquia faz parte da Otan e os Estados Unidos devem pressionar seu aliado para frear esta ofensiva que já deixou muitas vítimas civis, acrescentou.

Mas as relações entre Ancara e Washington pioraram fortemente nos últimos meses.

O presidente americano, Donald Trump, expressará a seu contraparte turco, Recep Tayyip Erdogan, sua preocupação com esta ofensiva durante uma conversa por telefone que manterão na quarta-feira, anunciaram funcionários de alto escalão do país americano.

Washington já pediu a Ancara que aja com moderação, enquanto reconhecia o direito legítimo da Turquia de se proteger.

Ancara acusa as YPG de serem o braço sírio do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que promovem uma guerrilha em solo turco desde 1984.

Para os governantes locais dessa região fronteiriça com a Turquia, a federação é uma experiência democrática que poderia servir de exemplo ao resto da Síria quando o país superar a guerra civil desatada em 2011.

As YPG não dispararam uma só bala na direção da Turquia em Afrin, assegurou Mohamed, para quem o PKK é um problema interno da Turquia.

Ancara lançou sua ofensiva depois que a coalizão internacional anti-extremista conduzida por Washington anunciou a criação de uma força fronteiriça de 30 mil homens integrada, entre outros, pelos combatentes curdos, o que suscitou a ira das autoridades turcas.

As YPG são a coluna vertebral de uma aliança entre curdos e árabes apoiada por Washington na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico na Síria.

Mas em Afrin os curdos não contam com o respaldo americano e devem combater as forças turcas e seus aliados árabes sírios.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212