Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Morre aos 96 anos a heroína de cartaz símbolo do feminismo - Jornal Brasil em Folhas
Morre aos 96 anos a heroína de cartaz símbolo do feminismo


A americana Naomi Parker Fraley, que na época da Segunda Guerra Mundial inspirou o icônico pôster Rosie the Riveter (Rosie, a operária), posteriormente transformado em um símbolo feminista, faleceu aos 96 anos.

O pôster de propaganda da época da guerra, feito em cores primárias, mostra uma mulher jovem vestindo macacão azul e bandana de bolinhas vermelhas e brancas, e com a manga puxada para trás, mostrando o bíceps, sob o slogan We can do it! (Nós damos conta!).

A imagem que promovia o trabalho das mulheres durante a Segunda Guerra Mundial foi brevemente colocada em fábricas americanas em 1943 para combater o absenteísmo e desencorajar convocações para greve.

Posteriormente, nos anos 1980, foi reintroduzida dos arquivos americanos e logo se tornou emblemática pelo papel que as mulheres tiveram nas fábricas ao substituírem os homens durante a guerra.

A imagem foi copiada, imitada e parodiada inúmeras vezes, e regularmente aparece em manifestações feministas.

No ano passado, a revista The New Yorker publicou o pôster reeditado, no qual uma mulher negra aparece fazendo a mesma pose, sendo que a bandana foi substituída por um pussy hat cor-de-rosa, usado durante a Marcha da Mulheres no dia da posse de Donald Trump.

Fraley teve a morte, em 20 de janeiro, confirmada pela nora, Marnie Blankenship, ao New York Times na segunda-feira.

Durante décadas, ela não foi reconhecida como a modelo do cartaz. Outra operária, Geraldine Hoff Doyle, foi erradamente identificada como a mulher da ilustração.

Em 2016, o acadêmico James Kimble, da Universidade Seton Hall, de Nova Jersey, publicou um relatório, apoiando a reivindicação de Fraley, que dizia ter sido a inspiração para o cartaz.

Ele descobriu uma fotografia em preto e branco de 1942 que mostra Fraley, então com 20 anos, usando a bandana de bolinhas, que segurava o seu cabelo enquanto ela operava uma máquina na fábrica de equipamentos militares de Alameda, na Califórnia, onde trabalhava.

Naqueles tempos, as mulheres deste país precisavam de alguns ícones, disse Fraley à revista People em 2016. Se acham que eu sou um, fico feliz.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro participa no Chile de Cúpula Presidencial Sul-Americana
Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212