Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Após morte de botos, dragagem no Porto de Sepetiba é suspensa por 15 dias - Jornal Brasil em Folhas
Após morte de botos, dragagem no Porto de Sepetiba é suspensa por 15 dias


A Comissão Estadual de Controle Ambiental (Ceca), vinculada à Secretaria de Estado do Ambiente do Rio de Janeiro, suspendeu por 15 dias as atividades de dragagem no Porto de Sepetiba, para aprofundar as investigações sobre a mortandade de botos na região.

Falando hoje (24) à Agência Brasil, o presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marcus Lima, informou que a medida atende recomendação do Ministério Público Federal no estado (MPF-RJ) e foi tomada por precaução, uma vez que não há, até agora, dados que comprovem que a mortandade dos botos é causada pela atividade de dragagem.

A Ceca é um colegiado multidisciplinar, com vários representantes da sociedade, que decide pela concessão de licenças para dragagem no estado, entre outros assuntos ligados ao meio ambiente. O Inea analisa e envia à Comissão os pedidos de licença que são concedidos ou não pelo órgão, explicou Marcus Lima.

Ao receber a recomendação do MPF-RJ, o Inea encaminhou o documento ao Laboratório de Mamíferos Aquáticos e Bioindicadores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), conhecido como Instituto Maqua, de notório saber sobre cetáceos, para saber se existia de fato alguma relação de causa e efeito entre a mortandade dos botos e a atividade de dragagem.

Considerando a urgência do tema, o Maqua elaborou parecer confirmando que a morte dos botos é resultado de uma doença conhecida como morbilivirose. “Eles mandaram um laudo para a gente, confirmando que a morte [dos botos] é em função de um vírus”.

Em relação à dragagem, o laboratório informou que qualquer atividade que perturbe de alguma forma o ambiente marinho, em tese poderia causar algum estresse para as populações de peixes. “Em tese, há a possibilidade de que a redução das fontes de estresse para os animais nesses locais pode minimizar o efeito do vírus. Mas não existe uma comprovação técnica de que vai funcionar”. Lima admitiu que esse vírus vai, com certeza, matar mais botos do que os 170 que já morreram até agora.

Não há nenhum remédio que combata esse vírus. De acordo com dados do Maqua, há alguns anos um vírus semelhante dizimou 70% da população de cetáceos nos mares do Norte. “A gente está fazendo o máximo possível para minimizar os impactos de uma epidemia, que já é um fato concreto”, afirmou o presidente do Inea.

Outros impactos

A suspensão não foi pelo prazo de 30 dias, conforme recomendado pelo MPF-RJ, mas por um período mais curto, para aprofundar as investigações e obter mais informações, inclusive de outras entidades, como a Capitania dos Portos, e das próprias empresas que fazem o trabalho de dragagem.

Lima acredita que findo o prazo de 15 dias, a Ceca poderá tomar uma decisão em caráter mais definitivo. Ele esclareceu que a dragagem é uma operação de manutenção é rotineira em todos os portos do mundo. Como a suspensão da atividade tem implicações que também podem ser negativas para o meio ambiente, como vazamento de óleo de um navio encalhado, todos esses aspectos têm de ser avaliados nesse período de duas semanas.

Marcus Lima lembrou que a dragagem de manutenção da mineradora Vale na Baía de Sepetiba começou no último dia 12, quando cerca de 140 botos já haviam morrido. Ele salientou a necessidade de que sejam verificados outros impactos sobre os cetáceos, como a atividade de turismo e de pesca na região, por exemplo.

A Secretaria de Estado do Ambiente e o Inea solicitaram a colaboração das Prefeituras de Itaguaí e de Mangaratiba para que adotem medidas que também minimizem impactos na Baía de Sepetiba durante o período em que as análises serão aprofundadas.

Edição: Denise Griesinger

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212