Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Merkel e Macron pedem globalização mais justa em Davos, antes da chegada de Trump - Jornal Brasil em Folhas
Merkel e Macron pedem globalização mais justa em Davos, antes da chegada de Trump


A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, Emmanuel Macron, defenderam nesta quarta-feira (24), em Davos, uma globalização mais justa, na véspera da chegada do presidente americano Donald Trump ao fórum suíço.

A França está de volta, garantiu Macron, num discurso aplaudido por líderes políticos e econômicos do mundo todo.

O francês falou a uma audiência favorável, após um encontro nesta segunda-feira no Palácio de Versalhes, perto de Paris, com grandes empresários do mundo todo, numa tentativa de fortalecer a atratividade econômica do país após suas reformas.

Muitos deles estavam também nesta quarta em Davos. Alguns, como os diretores do Goldman Sachs e da Google, não pouparam elogios às reformas trabalhista e tributária de Macron.

O mandatário falou primeiro em inglês e depois em francês por quase uma hora. Ele pediu um novo contrato mundial, reconhecendo que nem sempre a globalização é justa para todos.

Sem esse contrato, alertou, os extremistas vão vencer, dentro de dez ou 15 anos, em todos os países.

Ele ainda pediu às multinacionais, muitas deles presentes na luxuosa estação de esqui nos Alpes suíços, que renunciem à otimização fiscal para pagar menos impostos.

Pouco antes, Merkel afirmou que o protecionismo não é a melhor solução para os problemas do mundo.

Se achamos que as coisas não são justas, que os mecanismos não são recíprocos, então temos que encontrar soluções multilaterais, e não unilaterais, disse a chanceler no Fórum Econômico Mundial (WEF), numa referência clara à delegação americana que começou a chegar nesta quarta-feira.

O dia também foi marcado por um discurso do presidente Michel Temer, que anunciou um novo Brasil graças às reformas econômicas de seu governo.

Pela primeira vez um rei da Espanha, Felipe VI, foi a Davos, onde defendeu a imagens de um país com grandes atrativos econômicos e onde as leis são cumpridas, em referência à crise na Catalunha, que tem consequências para a economia.

- Duas visões de mundo -

A China, bem como a Índia e o Canadá, se uniu ao coro de vozes em defesa do livre-comércio e prometeu novas reformas para continuar a abrir sua economia.

Vamos nos opor a qualquer forma de protecionismo. A abertura é crucial, não apenas para a China, mas para o mundo inteiro, disse Liu He, conselheiro econômico do presidente Xi Jinping.

Com a chegada de Trump para um discurso na sexta-feira, duas visões de mundo vão se chocar em Davos, em meio a um contexto de crescimento econômico sólido a nível global.

Em seu estilo tradicional, Trump prometeu que vai ser o melhor vendedor de seu próprio país na Suíça. Muitos membros de seu gabinete começaram a chegar nesta quarta à estação de esqui, onde os helicópteros não paravam de voar.

O secretário americano de Tesouro foi um deles. Ele garantiu que Trump quer trabalhar com o resto do mundo, mas sem deixar de lado os interesses americanos.

Também destacou que do dólar fraco é benéfico para os Estados Unidos e suas exportações. Imediatamente, o valor da moeda americana caiu nos mercados de divisas.

Já o secretário americano de Comércio, Wilbur Ross, adotou um tom mais belicoso. Faz muito tempo que há guerras comerciais. Mas, agora, a diferença é que as tropas americanas vão à frente, garantiu.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro elogia Mandetta e Wagner Rosário, ministros anunciados hoje
Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212