Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Anistia critica México por deportar ilegalmente migrantes centro-americanos - Jornal Brasil em Folhas
Anistia critica México por deportar ilegalmente migrantes centro-americanos


A Anistia Internacional (AI) denunciou nesta terça-feira (23) que as autoridades migratórias do México deportam ilegalmente milhares de centro-americanos sem considerar os riscos de morte que correm em seus países de origem.

Um relatório da organização baseado em uma pesquisa a 500 migrantes procedentes de Honduras, El Salvador e Guatemala sustenta que o México descumpre sistematicamente o princípio de não devolução, contemplado no direito internacional, que proíbe a deportação de pessoas que corram risco real de sofrer perseguição ou outras violações graves de direitos humanos.

Ano após ano milhares de pessoas estão sendo ignoradas e sendo obrigadas a retornar, disse em entrevista coletiva Madeleine Peinman, pesquisadora da organização, destacando que 84% dos entrevistados não queriam voltar a seu país pois temiam pela própria vida.

O relatório Ignoradas e sem proteção aponta que 75% das pessoas detidas não foram informadas sobre seu direito de pedir refúgio.

Os países do chamado Triângulo Norte enfrentam situações de violência generalizada, com taxas de homicídio superiores às que a Organização Mundial da Saúde considera níveis epidêmicos de homicídios, segundo dados da AI.

O esforço da ONG de denunciar uma suposta falta de proteção a migrantes é, segundo a AI, uma oportunidade para melhorar os procedimentos de informação aos migrantes que por distintas razões são apresentados à autoridade migratória.

Até 15 de agosto do ano passado, o México havia recebido mais de 8.700 pedidos de refúgio, um número que já superava o total de 2016. Neste ano se reconheceu 35% do total de solicitantes, enquanto em 2017 esse percentual era de aproximadamente 20%, detalhou Peinman.

A Anistia recomendou ao governo mexicano que faça uma revisão exaustiva das práticas de deportação, e de sanções a funcionários que tenham efetuado deportações ilegais.

A organização também recomendou que o governo do presidente Enrique Peña Nieto, que termina em dezembro, oficialize um programa já existente de alternativas à detenção de migrantes.

Mais de 500.000 pessoas cruzam irregularmente a fronteira sul do México anualmente, segundo dados das Nações Unidas. Em sua passagem, essas pessoas muitas vezes são vítimas de abusos por parte de criminosos e traficantes de pessoas.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212