Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 EUA acrescentam seis funcionários talibãs e da Haqqani a sua lista de sanções - Jornal Brasil em Folhas
EUA acrescentam seis funcionários talibãs e da Haqqani a sua lista de sanções


Os Estados Unidos aconselharam o Paquistão nesta quinta-feira (25) a aplicar mão de ferro para combater os talibãs e a sua rede guerrilheira Haqqani, enquanto acrescentou que seis funcionários desses grupos figuram em sua lista de sanções.

O Departamento do Tesouro indicou que cinco dos seis se encarregavam de obter e compartilhar fundos, equipe e materiais para apoiar operações de grupos estritamente vinculados aos talibãs e à rede Haqqani, e que o sexto era um funcionário talibã de assuntos militares.

As sanções proíbem qualquer indivíduo ou companhia com presença nos Estados Unidos de fazer negócios com eles.

Vamos colocar seis indivíduos relacionados com os talibãs, ou com a rede Haqqani, que estiveram envolvidos em ataques a tropas da coalizão, tráfico de indivíduos e financiamento desses grupos terroristas, disse Sigal Mandelker, funcionária do Escritório de Terrorismo e Inteligência Financeira do Departamento de Estado.

O governo paquistanês deve trabalhar conosco para rechaçar o santuário talibã e da rede Haqqani, e se concentrar agressivamente em sua arrecadação de fundos terroristas, disse em comunicado.

Três dos funcionários talibãs sancionados, Abdul Qadeer Basir Abdul Baseer, Abdul Samad Sani e Hafiz Mohammed Popalzai, trabalhavam sob o comando do chefe da Comissão Financeira talibã, Gul Agha Ishakzai.

Segundo o Tesouro, sob sua direção arrecadaram fundos de traficantes de drogas, comerciantes de pedras preciosas, resgate de reféns e doadores para distribuí-los entre os combatentes afegãos.

Maulawi Inayatullah, por sua vez, foi identificado como um funcionário talibã de assuntos militares responsável pelos ataques de 2016 contra afegãos e forças da coalizão em Cabul, e os outros dois, Faqir Muhammad e Gula Khan Hamidi, teriam apoiado a rede Haqqani arrecadando fundos e ajudando combatentes a viajar dentro e fora do Oriente Médio.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212