Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Incêndio em hospital da Coreia do Sul deixa 37 mortos - Jornal Brasil em Folhas
Incêndio em hospital da Coreia do Sul deixa 37 mortos


Um incêndio destruiu nesta sexta-feira um hospital da Coreia do Sul e deixou pelo menos 37 mortos e dezenas de feridos, na pior catástrofe do tipo no país nos últimos 10 anos.

Quase 130 pessoas ficaram feridas. As chamas afetaram um edifício de seis andares, que abriga o hospital e um asilo na cidade meridional de Miryang.

As autoridades reconheceram que o hospital de Miryang, cidade de 115.000 habitantes do sudeste da Coreia do Sul, não dispunha de um dispositivo anti-incêndio automático.

Em vídeos publicados nas redes sociais é possível observar um paciente agarrado em uma corda lançada a partir de um helicóptero que sobrevoava o hospital. Outro paciente saiu por uma janela para alcançar uma escada.

Duas enfermeiras disseram ter visto o fogo entrar na sala de emergência, contou um funcionário dos bombeiros, Choi Man-Woo.

Todos os pacientes foram retirados do hospital de Miryang e de uma residência de idosos do mesmo edifício, acrescentou. A transferência das 15 pessoas internadas no CTI, no terceiro andar, demorou mais tempo porque os bombeiros precisaram agir sob supervisão médica.

As vítimas procedem tanto do hospital como da residência de idosos. Algumas morreram a caminho do hospital, indicou Choi Man-Woo.

Quase 200 pessoas estavam no prédio quando o incêndio começou, informou a polícia.

Vídeos e fotografias mostraram o hospital envolto por uma nuvem de fumaça e cercado por vários caminhões do Corpo de Bombeiros.

Depois que as chamas foram controladas, os bombeiros começaram a procurar possíveis vítimas entre os escombros do edifício.

O presidente sul-coreano Moon Jae-In organizou uma reunião de emergência com os conselheiros para determinas as medidas que devem ser adotadas.

No mês passado, 29 pessoas morreram em um incêndio em um ginásio da cidade de Jecheon (norte), uma catástrofe atribuída às poucas saídas de emergências, aos materiais inflamáveis utilizados no edifício e aos carros que estavam mal estacionados e que bloquearam o acesso dos veículos de emergência.

- Curto-circuito? -

Entre os sobreviventes do incêndio desta sexta-feira, Jang Yeong-Jae, um paciente do hospital, relatou que estava no segundo andar quando uma enfermeira gritou fogo!.

Mas quando eu abri a porta, a escada estava cheia de fumaça negra e não conseguia ver nada, indicou Jang Yeong-Jae ao jornal JoongAng Ilbo.

As pessoas correiam aterrorizadas, caiam pelas escadas, gritavam enquanto a fumaça invadia os quartos, acrescentou.

O diretor do hospital, Son Gyeong-Cheol, reconheceu que o centro não tinha extintores de incêndio automáticos.

As atuais normas de segurança não exigem, mas o hospital se preparava para instalar na próxima semana para antecipar-se a uma nova legislação que entrará em vigor em junho, acrescentou.

Havia dois ar-condicionados reversíveis na sala de emergência e o incêndio começou nessa área. Suspeitamos que houve um curto-circuito, declarou o diretor do hospital.

O incêndio hospitalar é o pior registrado na Coreia do Sul desde 2008. Naquele ano, o incêndio em um armazém causou a morte de 40 pessoas em Incheon.

A catástrofe mais mortal da história sul-coreana ocorreu em 2003. O incêndio criminosos de uma estação de metrô deixou 192 mortos e cerca de 150 feridos.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212