Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Washington adota sanções contra autoridades russas e ministros separatistas ucranianos - Jornal Brasil em Folhas
Washington adota sanções contra autoridades russas e ministros separatistas ucranianos


O Tesouro americano anunciou nesta sexta-feira novas sanções relacionadas ao conflito na Ucrânia e à anexação da Crimeia por Moscou, visando autoridades russas e ministros separatistas.

Algumas dessas novas sanções financeiras, que visam um total de 21 pessoas e nove entidades, dizem respeito a quatro turbinas fabricadas pela Siemens alemã e desviadas, segundo os Ocidentais, à Crimeia para fornecer energia aos territórios anexados pela Rússia.

O governo americano está determinado a preservar a soberania e a integridade territorial da Ucrânia e visa aqueles que estão tentando minar os acordos de Minsk, assinado no início de 2015 para tentar resolver o conflito que se arrasta desde 2014, afirmou o secretário do Tesouro, Steve Mnuchin, em um comunicado.

Aqueles que fornecem bens, serviços ou suporte material a pessoas e entidades sancionadas pelos Estados Unidos para suas atividades na Ucrânia vão estar expostos a sanções americanas, advertiu.

As novas medidas dizem respeito, em primeiro lugar, a onze líderes separatistas: ministros das autoproclamadas repúblicas de Donetsk e Lugansk, no leste da Ucrânia, bem como o governador de Sebastopol, na Crimeia, todos acusados ​​de terem bloqueado a paz ou de exerceram funções governamentais em território ucraniano sem a permissão de Kiev.

O vice-ministro russo da Energia, Andrei Tcherezov, e um chefe de departamento no mesmo ministério também estão na lista de sancionados. Eles já haviam sido punidos pela União Europeia por desviar as turbinas a gás da Siemens para a Crimeia.

Sergei Topor-Gilka, diretor-geral da Technopromexport, subsidiária do conglomerado estatal russo Rostec e comprador das turbinas, também é alvo das medida americanas.

A transferência de turbinas para a Crimeia no verão passado é contrária ao contrato de venda, lembra o Tesouro americano, que justifica que elas arriscam contribuir para a anexação da Crimeia pela Rússia, fornecendo uma fonte independente de energia na Crimeia e em Sebastopol.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212