Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Erdogan promete esmagar qualquer ameaça à Turquia no norte da Síria - Jornal Brasil em Folhas
Erdogan promete esmagar qualquer ameaça à Turquia no norte da Síria


A ofensiva do exército da Turquia contra uma milícia curda aliada dos Estados Unidos no norte da Síria entrou neste sábado em sua segunda semana, com novos ataques aéreos e de artilharia, assim como a promessa de Ancara de esmagar qualquer ameaça.

Apesar dos pedidos de vários países ocidentais por moderação, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, afirmou neste sábado que seu governo está determinado a esmagar como um rolo compressor qualquer ameaça contra a Turquia.

Ancara realiza desde 20 de janeiro uma ofensiva na região de Afrin, noroeste da Síria, contra as Unidades de Proteção Popular (YPG), que considera terroristas. Esta milícia curda, no entanto, é uma aliada da coalizão internacional contra o grupo Estado Islâmico (EI).

Neste sábado foram retomados os combates entre as forças turcas e as YPG ao noroeste da região de Afrin, segundo a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

A operação aumentou a tensão entre Ancara e Washington, uma relação abalada há um ano pelas divergências sobre as YPG.

Durante uma conversa telefônica na sexta-feira, o conselheiro de Segurança Nacional do presidente americano Donald Trump, H.R. McMaster, confirmou ao porta-voz do presidente turco Ibrahim Kalin que Washington não forneceria mais armas às YPG, informou o governo da Turquia.

Na quarta-feira, uma ligação telefônica entre Erdogan e Donald Trump evidenciou as divergências entre Turquia e Estados Unidos, quando os dois governos apresentaram versões consideravelmente diferentes sobre a conversa.

Ignorando os apelos de Washington por contenção, Erdogan ameaçou na sexta-feira ampliar a ofensiva turca para outras áreas ao norte da Síria controladas pelas YPG, como a cidade de Manbij, onde estão mobilizados centenas de soldados americanos.

Neste sábado, o ministro turco das Relações Exteriores, Mevlüt Cavusoglu, disse que é necessário que (Estados Unidos) se retire imediatamente de Manbij.

Não importa o nome da organização terrorista, seja Daesh (acrônimo em árabe do EI), PKK ou YPG. Com a ajuda de Deus, vamos esmagá-los como um rolo compressor, prometeu Erdogan em um discurso neste sábado em Istambul.

Continuaremos nossa operação (em Afrin) até destruir a cabeça do terrorismo, declarou o primeiro-ministro Binali Yildirim.

Não importa o que digam uns e outros, completou.

Diante da ofensiva turca, a administração semiautônoma de Afrin pediu na quinta-feira ao governo sírio que atue para impedir os ataques.

Os grupos curdos sírios, que controlam atualmente dois terços dos quase 900 km de fronteira com a Turquia, mantêm uma relação ambígua com o regime sírio, evitando confrontos. A oposição síria acusa os dois lados de conluio..

Segundo o OSDH, os confrontos deixaram mais de 110 mortos desde sábado passado nos dois lados, assim como 38 civis, que faleceram em sua maioria em bombardeios turcos.

Ancara, que nega qualquer ataque contra civis, afirma que três soldados turcos morreram e 30 ficaram feridos desde o início da ofensiva.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212