Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Magnata americano dos cassinos Wynn acusado de má conduta sexual, diz reportagem - Jornal Brasil em Folhas
Magnata americano dos cassinos Wynn acusado de má conduta sexual, diz reportagem


Dezenas de pessoas acusaram o magnata dos cassinos de Las Vegas Steve Wynn de décadas de má conduta sexual, em que ele supostamente pressionou funcionárias para realizar atos sexuais, informou o Wall Street Journal nesta sexta-feira (26).

A reportagem, para a qual o jornal contactou mais de 150 pessoas que trabalham ou trabalharam para Wynn, é a primeira da avalanche de denúncias de abuso sexual nos EUA a atingir um CEO e fundador de uma grande empresa de capital aberto - cujas ações caíram 7,8% após a publicação.

Wynn, ex-rival de negócios e aliado político do presidente Donald Trump, negou as acusações e apontou para sua ex-esposa Elaine de instigar as denúncias como parte de um terrível e desagradável processo judicial em busca de um acordo de divórcio revisado.

As acusações incluem uma manicure casada que disse que Wynn a forçou a fazer sexo pouco depois dele abrir o seu emblemático Wynn Las Vegas em 2005, e que ele mais tarde pagou um acordo de US$ 7,5 milhões, informou o jornal.

A ideia de que eu assediei qualquer mulher é absurda, disse Wynn em um comunicado.

Nós nos encontramos em um mundo onde as pessoas podem fazer alegações, independentemente da verdade, e uma pessoa é deixada com a escolha de aguentar a propaganda insultante ou se envolver em processos plurianuais.

Wynn, 75 anos, é uma figura imponente no mundo das apostas e presidente das finanças do Comitê Nacional Republicano. Seu império inclui cassinos em Macau.

Ex-funcionárias disseram que por estarem cientes do poder de Wynn e de que tinham alguns dos melhores empregos pagos em Las Vegas contribuíram para um sentimento de dependência e intimidação quando ele fazia pedidos, informou o jornal.

Uma ex-massagista disse que ele a instruiu a estimular manualmente seus órgãos genitais durante as sessões, e que sentiu que tinha que concordar porque ele era seu chefe.

Outra ex-funcionária disse que Wynn esfregou seus órgãos genitais e comentou sobre o que ele gostaria de fazer com ela sexualmente, e uma vez agarrou sua cintura e pediu para ela beijá-lo.

A Wynn Resorts, que emprega 23 mil pessoas em todo o mundo, também atacou Elaine Wynn e disse que nenhuma reclamação foi feita sobre Wynn em uma linha direta da companhia.

A empresa exige que todos os funcionários recebam treinamento anual contra o assédio e oferece uma linha direta independente que qualquer funcionário pode usar anonimamente, sem medo de retaliação, afirmou.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212