Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Curitiba e Viracopos são os aeroportos mais bem avaliados no país - Jornal Brasil em Folhas
Curitiba e Viracopos são os aeroportos mais bem avaliados no país


Os aeroportos de Curitiba e de Viracopos, em Campinas (SP), aparecem na frente na Pesquisa de Satisfação de Passageiros que avalia os 20 principais aeroportos brasileiros, responsáveis pela movimentação de cerca de 87% de todos os passageiros transportados no país. Logo atrás dos dois terminais, aparecem os aeroportos de Confins (MG), Natal (RN) e Santos Dumont (RJ). O aeroporto de Salvador apareceu com a menor avaliação entre todos os pesquisados.

Os números foram divulgados hoje (30) pela Secretaria Nacional de Aviação Civil, vinculada ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. A pesquisa, referente ao quarto trimestre de 2017, avaliou a satisfação dos passageiros em 38 quesitos, tais como atendimento, infraestrutura, serviços, acesso, entre outros. Os entrevistados atribuem notas de 1 a 5 a cada um dos quesitos.

Os números são divulgados trimestralmente pela pasta. Até o 3º trimestre de 2017, a pesquisa abrangia 15 terminais, mas, a partir do 4º trimestre, foram incluídos mais cinco aeroportos: Maceió (AL), Goiânia (GO), Vitória (ES), Belém (PA) e Florianópolis (SC). De acordo com a secretaria, a média de satisfação geral dos dois últimos meses de 2017 desses aeroportos foi 3,99.

Ainda de acordo com o órgão, na avaliação referente aos 15 aeroportos, 91% dos entrevistados classificou os terminais como “bons”, o equivalente a nota 4, ou “muito bons”, nota 5.

O terminal de Curitiba, primeiro na avaliação, obteve nota 4,77. Viracopos aparece com 4,76; Confins e Natal vêm empatados com 4,48. Já o Santos Dumont obteve nota 4,43. O aeroporto de Salvador (Luís Eduardo Magalhães), teve avaliação de 3,91.

Pontos fortes e fracos

De acordo com o secretário nacional de Aviação Civil, Dario Lopes, entre os pontos críticos apontados pelos entrevistados estão o custo-benefício da alimentação, o comércio de forma geral e o acesso aos terminais por meio de transporte público.

“O transporte público é complicado de fazer, uma vez que não é uma responsabilidade direta do gestor aeroportuário, mas gerido pela prefeitura ou pela região metropolitana”, disse. “O que temos feito a este respeito é tentar melhorar o serviço, a exemplo do acordo de operação conjunta entre o táxi convencional e os serviços de aplicativos no aeroporto de Guarulhos”, disse.

De outro lado, entre os fatores que mais contribuem para a avaliação positiva, o secretário destacou o conforto térmico, com a existência de refrigeração adequada; o conforto acústico, e o acesso à internet. “Um dos fatores que têm pesado é conforto térmico, acústico e acesso a internet. Se o aeroporto continua com poltronas boas, tem internet em todo lugar, tem tomada... Qualquer aeroporto que tenha algum problema com um desses itens, a queda na avaliação geral é visível”, disse.

Curitiba e Campinas

Lopes disse que a avaliação dos aeroportos de Curitiba e Viracopos pode estar relacionada com a cooperação dos gestores dos terminais com os órgãos públicos. “Talvez seja uma questão de cultura local, da forma como as pessoas se relacionam. Isso cria sinergias”, disse.

O Caso de Viracopos é atípico. A concessionária que administra o terminal, a Aeroportos Brasil Viracopos (ABV) decidiu, em julho do ano passado, devolver a concessão por conta das dificuldades financeiras e da frustração da demanda do fluxo de passageiros e de cargas.

De acordo com o governo, uma nova licitação será realizada. A expectativa é que ela ocorra ainda nesse primeiro semestre. Até lá, a concessionária continuará administrando o aeroporto e só vai sair depois que o novo consórcio pegar a concessão.

Salvador

No caso de Salvador, Lopes disse que o aeroporto baiano tem apresentado historicamente, os maiores índices de dificuldades. “Ele tem um problema crônico de conforto térmico, o sistema de ar condicionado não tem dimensão suficiente para garantir o conforto térmico dos clientes”, disse. “Há problemas de disponibilidade de tomadas, de poltronas na sala de embarque.

Lopes informou que a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) investiu no aeroporto no segundo semestre de 2017 para resolver boa parte dos problemas. Desde o início de janeiro, o aeroporto passou a ser administrado pela Vinci Airports. A empresa tem até outubro de 2019 para finalizar a primeira parte das exigências contratuais.

A concessionária ficará com o terminal pelos próximos 30 anos. A previsão é que os investimentos comecem em junho. Dentre as ações iniciais previstas para a concessionária, a nova gestora do equipamento, estão previstos para ocorrer a partir de junho deste ano. A empresa tem até outubro de 2019 para iniciar a primeira parte das reformas estruturais.

Dentre elas, está a ampliação da capacidade do terminal de passageiros, do pátio de aeronaves e das vagas de estacionamento. “A expectativa é que agora, com a concessionária entrando, tenha uma injeção de recursos maior e isso vai fazer – não num primeiro instante – mas isso vai melhorar e, em um ano, Salvador vai estar no mesmo nível dos demais”, disse.

Edição: Davi Oliveira

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212