Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Volkswagen afasta diretor por testes de emissão de gases com macacos - Jornal Brasil em Folhas
Volkswagen afasta diretor por testes de emissão de gases com macacos


A fabricante de automóveis alemã Volkswagen, afastou seu diretor de relações institucionais, Thomas Steg, após ser divulgada a realização de testes nos quais macacos foram expostos a emissões de diesel para supostamente demonstrar que este combustível não é nocivos à saúde, informou nesta terça-feira a companhia.

Em um comunicado, a Volkswagen apontou que a direção da empresa se reuniu hoje e aceitou o pedido de licença temporária de Steg e o retirou de suas funções até que o ocorrido seja completamente esclarecido.

O senhor Steg declarou que assume toda a responsabilidade. Isso eu respeito, afirmou o presidente da Volkswagen, Matthias Müller, segundo a nota da empresa.

Müller disse que estão sendo investigados detalhadamente os trabalhos realizados pela Associação Europeia de Estudos sobre a Saúde e o Meio Ambiente no Transporte (EUGT) - financiada por Volkswagen, BMW e Daimler - para extrair todas as consequências necessárias.

Segundo os jornais alemães Süddeutsche Zeitung e Stuttgarter Zeitung, a EUGT - associação dissolvida em 2017 - iniciou uma pesquisa nos Estados Unidos na qual macacos e seres humanos inalaram gases com o suposto propósito de determinar os efeitos do dióxido de nitrogênio (NO2) sobre o sistema respiratório e sobre a circulação sanguínea.

Steg disse hoje que os testes em que macacos foram expostos a emissões de diesel para supostamente demonstrar que este combustível não é tão nocivo para a saúde não deveriam ter acontecido.

Em uma entrevista ao jornal alemão Bild Zeitung, Steg reconheceu que foi informado por e-mail que a EUGT pretendia fazer experiências também com humanos.

Respondi que, naturalmente, não podia admitir isso, disse Steg, que afirmou que esse estudo então não foi realizado.

O gerente acrescentou que, depois que os testes com humanos foram rejeitados, em junho de 2013 a EUG decidiu realizar o estudo com macacos e, segundo ele, foram respeitados os padrões científicos internacionais.

Steg considerou, no entanto, que sob a perspectiva de hoje, o estudo não deveria ter sido executado, mesmo que em diferentes condições.

Matthias Müller se desculpou ontem à noite durante uma recepção com empresários e considerou que os testes foram repugnantes e antiéticos.

As funções de Steg como chefe de relações institucionais serão assumidas por Jens Hanefeld, até agora responsável pela política internacional e europeia da empresa, segundo o comunicado da Volkswagen. EFE

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212