Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Indústria mineira em retomada - Jornal Brasil em Folhas
Indústria mineira em retomada


A sensação para a indústria mineira é que o pior já passou. É que depois de dois anos de estagnação e outros três de queda, o faturamento real do setor voltou a subir em 2017, com alta de 1,3% frente o ano anterior, conforme levantamento divulgado ontem pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). No ano anterior, o recuo foi de 11,6%.

O resultado da indústria do Estado foi melhor do que a média brasileira da Confederação Nacional da Indústria (CNI), que registrou recuo de 0,2% no faturamento no ano passado na comparação com 2016.

Para o presidente do Conselho de Política Econômica e Industrial da Fiemg, Lincoln Gonçalves Fernandes, o desempenho do faturamento é um sinal inequívoco de retomada da indústria.

A maioria dos setores pesquisados registrou alta no faturamento no ano passado. Em termos percentuais, os destaques foram dos segmentos de celulose e papel, com alta de 13,6%, além da atividade de coque e derivados de petróleo (9,4%) e veículos automotores (5,2%). O segmento de metalurgia, que tem peso considerável na indústria mineira, teve queda de 3,6%, bem como produtos de metal (-8,4%).

Nas demais comparações feitas pela entidade, o faturamento teve resultado positivo na média das indústrias do Estado. No último mês do ano passado foi verificada alta no faturamento de 5,3% frente dezembro de 2016.Em dezembro de 2017 em relação a novembro do mesmo ano, a elevação foi de 6,2%, após ajuste sazonal.

As horas trabalhadas na produção e o emprego seguem com variação negativa em 2017, totalizando quatro anos de queda nessa base de comparação. “Entretanto, a intensidade da retração na geração de emprego vem diminuindo”, observa a economista da Fiemg Annelise Fonseca. Em 2017, o emprego no setor teve queda de 4,9%, menor que o recuo de 7,1% verificado em 2016 e também em 2015. No caso das horas trabalhadas, o recuo no ano passado foi de 1,6%.

Expectativa. De acordo com a economista, a perspectiva da Fiemg é de crescimento de 2% no faturamento e alta de 3,3% na produção da indústria mineira neste ano. A entidade espera que o Produto Interno Bruto (PIB) do Estado tenha expansão de 2,6% em 2018.

Para o presidente do Sindicato da Indústria de Calçados do Estado de Minas Gerais (Sindicalçados), Jânio Gomes, a perspectiva é de que os negócios neste ano superem o resultado de 2017.

Na mesma área de atuação, o presidente do Sindicato Intermunicipal das Indústrias de Calçados de Nova Serrana (Sindinova), Pedro Gomes da Silva, também está otimista com o desempenho da atividade neste ano.

Ele conta que o polo, formado por 12 cidades na região Centro-Oeste do Estado, vem registrando bons resultados. Em 2017, o faturamento foi de R$ 3,8 bilhões.

No ano passado, Nova Serrana se manteve na liderança entre as dez cidades brasileiras com a maior geração de empregos. De janeiro a novembro de 2017, criou 3.399 vagas, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho. Desse total, 2.870 postos foram criados pela indústria.

Venda de veículos sobe em janeiro

O mercado de veículos novos no Brasil começou 2018 em crescimento. Foram 181,2 mil unidades vendidas em janeiro, 23,14% a mais do que igual mês do ano passado, segundo dados divulgados ontem pela Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), que considera automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. O aumento, no entanto, só foi expressivo porque o número de unidades vendidas em janeiro de 2017 foi o menor para o mês desde 2006.

Entre os segmentos, a venda dos veículos leves foi de 175,5 mil unidades, alta de 22,3% na comparação com janeiro de 2017 e queda de 14,3% em relação a dezembro.


Mais indústria

Produção pelo IBGE
A produção industrial subiu 2,8% em dezembro de 2017 ante novembro, segundo divulgou ontem o IBGE. Em relação a dezembro de 2016, a produção cresceu 4,3%. No ano de 2017, a indústria teve alta de 2,5%.

Por setor

Ainda segundo o IBGE, a produção cresceu em 19 dos 26 ramos industriais no ano de 2017. Destaque para a produção de veículos, com alta de 17,2%, mineração (4,6%) e eletrônicos (19,6%).

CNI aponta que no Brasil

A indústria brasileira teve quedas no faturamento, no emprego e na massa salarial em 2017. Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o faturamento caiu 0,2% no ano. O emprego recuou 2,7%, o total de horas trabalhadas caiu 2,2% e massa salarial, 1,9%.

 

Últimas Notícias

Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212