Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


24 de Oct de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Indústria de máquinas deve crescer no ano - Jornal Brasil em Folhas
Indústria de máquinas deve crescer no ano


São Paulo. Após cinco anos seguidos com o faturamento em queda, a indústria nacional de máquinas e equipamentos deve crescer entre 5% e 10% em 2018, segundo previsão nesta quarta-feira (31) pela Abimaq, entidade que representa o setor. Diretores da associação alertaram, porém, que as incertezas no campo político são altas num ano de eleição, o que justifica a faixa larga entre as previsões mínima e máxima.

A Abimaq está preparando um documento, com foco em medidas de incentivo à retomada dos investimentos, para apresentar aos pré-candidatos da eleição presidencial de outubro. “A economia pode até crescer entre 2,8% a 3% neste ano, mas o crescimento não vai se sustentar se for focado apenas em consumo. Vamos levar a presidenciáveis a necessidade de investir”, afirmou João Carlos Marchesan, presidente do conselho de administração da Abimaq, na apresentação dos resultados da indústria de máquinas e equipamentos no ano passado, quando o faturamento do setor caiu 2,9%.

Segundo o executivo, se o futuro presidente tiver o compromisso de “reindustrializar” o Brasil, as fábricas de máquinas podem voltar a ser o que foram há 15 ou 20 anos. Por enquanto, a previsão de retomada do setor se sustenta na perspectiva de um crescimento de 2,7% da atividade econômica. Na indústria de transformação, principal cliente do setor, as previsões da Abimaq apontam para um crescimento entre 4% e 5% em 2018. “A estimativa é que a safra vai puxar o PIB um pouco para baixo, mas há consenso de que a indústria vai crescer”, comentou Mário Bernardini, diretor de competitividade da Abimaq.

Ele disse ver uma tendência de crescimento mais disseminado no consumo de bens de capital, inclusive com a recuperação das fabricantes de máquinas de construção. Para Bernardini, há um quadro muito indefinido nas eleições, o que gera efeitos fortes na economia. “Um quadro eleitoral mais tranquilo pode nos levar a um crescimento mais próximo de 10%. Já num quadro mais confuso, o crescimento pode ficar mais próximo de 5%”.

 

Últimas Notícias

José Eliton e Caiado iniciam transição "republicana e no mais alto nível possível"
Carreta Novartis da Saúde chega em Goiás para combate à hanseníase
Mega-Sena sorteia o prêmio de R$ 18 milhões do concurso 2090
Vanderlan visita Tribunal de Justiça de Goiás
Brasil gera 137,3 mil novos postos de trabalho em setembro
Inscritos no Enem podem checar local de provas a partir de hoje
Após três quedas seguidas, dólar sobe e fecha o dia em R$ 3,72
Renan Filho: acordo para vender a Ceal depende de União quitar débitos

MAIS NOTICIAS

 

Equipe de transição deve ser definida hoje à tarde, diz Caiado
 
 
ONS vai reforçar ações de segurança energética nas eleições e no Enem
 
 
Inflação medida pelo INPC sobe para 0,30% em setembro
 
 
Universidades particulares terão disciplina sobre primeira infância
 
 
Com Enem, horário de verão começa no dia 18 de novembro
 
 
Governo anuncia recursos de R$ 600 milhões para o ensino médio

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212