Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Entrega em casa se reinventa para conquistar mais clientes - Jornal Brasil em Folhas
Entrega em casa se reinventa para conquistar mais clientes


Sair de casa para comprar só mesmo se for necessário. Essa é a filosofia do gerente de administração Vanderson Silva, que se tornou preferencialmente um consumidor a distância. Ele conta que é um dos adeptos do novo sistema de delivery, via aplicativos. “Hoje, praticamente 90% das minhas compras são via aplicativos, de alimentos a roupas. A vantagem é a praticidade” diz. Outro benefício dessa modalidade é ter ferramentas que permitem fazer pesquisas nos apps, segundo Silva.

É fato que o serviço de delivery já existe há anos. A diferença é que, se antigamente, o atendimento era exclusivamente pelo telefone, hoje, com a tecnologia, os mais diversos canais de atendimento são utilizados pelas empresas – e-mail, WhatsApp, sites e aplicativos –, com o objetivo de ficar mais próximo do consumidor e, assim, aumentar as vendas. Com aplicativos como o Get Ninjas, depois de poucos cliques um nutricionista pode chegar à sua casa. Em outros apps, a pessoa pode escolher um médico comparando currículo, valor de consulta e tempo de chegada.

Já existe empresa oferecendo consultoria do produto que comercializa por essas plataformas, tudo para facilitar a vida do cliente. O delivery é tão importante que metade dos restaurantes e das lanchonetes atendidos pelo Sebrae em todo o país oferece o serviço, sem terceirização, para dar mais comodidade ao consumidor.

Além dos estabelecimentos que adotam a modalidade há décadas, negócios recentes no formato tradicional estão adotando o delivery. É o caso da hamburgueria The Taste Burguer, que depois de dois anos de mercado, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, se rendeu às entregas via telefone e aplicativo. Esse modelo começou no fim do ano passado.

No segmento de lavanderias, por exemplo, a rede 5àsec conta com o e-commerce, chamado de “Lavanderia Online”. O projeto inclui um novo website, que já está no ar, e um aplicativo para smartphones e tablets, que será lançado no primeiro trimestre deste ano. “Com isso, passamos a ter uma variedade maior de consumidores, em especial a nova geração, que vive mais conectada”, diz o diretor. Assim, os clientes podem contar com a coleta e a entrega de roupas sem precisar ir às lojas.

A rede está apostando no crescimento desse tipo de serviço, que representa de 35% a 40% do faturamento das lojas, segundo o diretor de franquias, Alex Quezada. Em cinco anos, a perspectiva é que a participação chegue a 50%. Quando o serviço foi lançado no Estado, representava, no máximo, 10% dos negócios, pois era algo pouco conhecido, observa Quezada.

Saúde. E, se tem um setor experiente, além do de bares e restaurantes, é o de saúde, em que o atendimento domiciliar veio muito antes da tecnologia. Há quase 20 anos, a empresa Hospital na Residência, sediada na capital, oferece esses serviços. “No nosso caso, é mais que comodidade, é necessidade”, observa o diretor Marcelo Baltazar. Ele explica que há possibilidade, para algumas especialidades, de o médico se deslocar até a residência do paciente, além da modalidade home care. “Entre as vantagens da internação domiciliar estão o contato maior com a família e a segurança, já que não há risco de infecção hospitalar”, diz.
Trânsito pior ajuda a aumentar a demanda

A combinação de pessoas com menos tempo livre e trânsito cada vez pior, em especial nas grandes cidades, fez a demanda pelos serviços de profissionais em domicílio aumentar. É o caso da fisioterapeuta Isabel Cristina Lara Freitas, que percebeu alta na demanda por esse tipo de serviço nos últimos três anos na capital. “Em torno de 80% de meus atendimentos são nas residências”, afirma. Ela vai até a casa de seus pacientes há dez anos.

Isabel diz que, entre os mais jovens, a procura pelo atendimento em casa tem relação com o trânsito ruim. No caso dos pacientes mais idosos, ela ressalta que existe a dificuldade de locomoção – muitos não dirigem e ficam dependendo de um parente para acompanhá-los a uma clínica. “Existe a comodidade de ter o serviço em casa. Além do tempo, há gastos nos deslocamentos, seja num estacionamento ou no pagamento do transporte, seja um táxi ou Uber, por exemplo”, analisa.

Aplicativo. A nutricionista Shellen Pollyanna, que está no Get Ninjas, percebeu a elevação da procura pelos seus serviços. “Comecei a atender em domicílio em 2014. Na época, esse tipo de atendimento representava de 1% a 2% dos meus pacientes. Hoje, está entre 30% e 40%”, ressalta.

Para ela, as pessoas estão mais ocupadas e valorizando, cada vez mais, o tempo. “Elas não querem perder tempo no deslocamento, no trânsito cada dia pior, estão mais práticas”, frisa. A nutricionista destaca ainda que outra vantagem para os profissionais que vão até os seus clientes é que não há faltas nem atrasos.
No setor de drogaria, serviço é fundamental para o cliente

A participação do delivery cresceu nos últimos anos na drogaria São Camilo, no bairro Caiçara, na região Noroeste de Belo Horizonte, conforme a proprietária Jacqueline Moreira Freitas. A empresa oferece o serviço de entrega há cerca de 18 anos. “Quando a gente começou, as encomendas não chegavam nem a 5% do movimento. Hoje, em torno de 40% das vendas são pelo delivery”, compara.

Para Jaqueline, quem não oferece o serviço perde vendas, principalmente para as grandes redes. “É uma comodidade, ainda mais para remédio. Muitas vezes, a mãe está com a criança doente e não tem como sair de casa”, diz.

Eletricidade. E quem está com obra em casa e precisa de algum material elétrico não precisa sair correndo buscar o produto. O gerente da Loja Elétrica, Édimo Pires, conta que, para casos urgentes, o pedido pode ser feito pelo telefone. “Temos o delivery há mais 30 anos. Só que a gente vai se modernizando para atender mais rápido”.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212