Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Câmera em coleira mostra luta de ursos polares para achar comida no Ártico - Jornal Brasil em Folhas
Câmera em coleira mostra luta de ursos polares para achar comida no Ártico


Coleiras com câmeras, sensores e GPS colocados por cientistas em ursos polares revelaram a dificuldade crescente destes animais para conseguir se alimentar em meio ao degelo do Ártico.

Os aparelhos gravaram vídeos a partir do ponto de vista dos ursos e registraram seus deslocamentos, níveis de atividade, variação de metabolismo e gasto de energia.

Isso revelou que a maioria dos ursos polares observados não conseguiu apanhar presas suficientes para atender suas necessidades calóricas. A equipe por trás do experimento também afirma que a atividade metabólica destes animais é mais intensa do que se pensava.

Além disso, as mudanças climáticas parecem estar afetando dramaticamente o gelo no mar do Ártico, forçando ursos a percorrer distâncias cada vez maiores para caçar e tornando essa empreitada ainda mais difícil.

Urso magro

A cena em que um urso polar captura uma foca vulnerável sobre um bloco de gelo flutuante é comum em documentários sobre vida selvagem.

Mas, no início deste inverno no Ártico, no entanto, outra imagem, em que um urso aparece muito magro, viralizou, com muitas pessoas questionando se isso seria um indicador de como será o futuro em meio às alterações em curso no meio ambiente.

Os autores deste estudo, publicado na revista Science, destacam que estes animais precisam atualmente ir cada vez mais longe para encontrar focas, e que isso é provavelmente um fator importante por trás da piora na sua condição corporal e de sobrevivência.

Os cientistas liderados por Anthony Pagano, pesquisador da Universidade da Califórnia em Santa Cruz, acompanharam ursos polares nas primaveras de 2014 a 2016.

Nove fêmeas tiveram seus níveis metabólicos medidos por meio de amostras de sangue e urina, e foram colocadas nelas coleiras com câmeras e GPS para registrar sua atividade. Descobrimos que ursos polares têm uma demanda por energia bem superior ao que se previa. Eles precisam apanhar muitas focas, explicou Pagano.

Mudanças de estratégia

Mas a extensão do gelo no mar do Ártico, medida em setembro - período em que está em seu mínimo -, vem diminuindo a uma taxa de 14% por década, o que provavelmente dificulta o acesso dos ursos às presas. E isso pode ser agravado pela sua necessidade de adotar diferentes estratégias de caça com a mudança de estação.

Na primavera, os ursos polares caçam principalmente focas jovens. Mas, no fim do ano, depois de um jejum dos ursos por todo o verão, essas focas estão mais velhas e experientes, o que significa que eles não conseguem apanhar tantas quanto antes.

Acredita-se que um urso apanhe umas duas focas por mês no outono, em comparação com cinco a dez por mês na primavera e início do verão, disse Pagano.

Agora, temos a tecnologia para entender como eles se movimentam pelo gelo, seus padrões de atividade e necessidades calóricas. Assim, poderemos compreender melhor as implicações nas mudanças no gelo do mar.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212