Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Avanço de casos fatais da febre amarela leva medo ao interior - Jornal Brasil em Folhas
Avanço de casos fatais da febre amarela leva medo ao interior


Enquanto autoridades federais, estaduais e municipais não se entendem sobre o combate, mais uma cidade mineira decretou situação de emergência em saúde pública por causa do avanço da febre amarela. A Prefeitura de Conceição dos Ouros, no Sul de Minas, tomou a medida depois que duas pessoas morreram em decorrência da doença. Balanço feito pelo Estado de Minas com base em dados da SES e de administrações municipais mostra que já são 50 mortes registradas neste ano apenas em território mineiro.

Minas Gerais também decretou emergência em 162 cidades. Em 20 de janeiro, o governo já havia anunciado a medida para 92 municípios, das regionais de Saúde de Belo Horizonte, Itabira e Ponte Nova. Dias depois publicou outro documento, acrescentando mais 62, que fazem parte das áreas das regionais de Juiz de Fora e Barbacena. Além das duas mortes de Conceição dos Ouros, Ouro Branco, localizado na Região Central, confirmou mais uma vítima da doença. De acordo com a Secretaria de Saúde de Barbacena, o homem tinha 41 anos e não havia se vacinado. Mariana, ainda na Região Central do estado, divulgou boletim em que registra mais dos casos fatais, somando sete óbitos de pacientes com a doença, elevando para pelo menos 50 mortes pela enfermidade em Minas neste ano.

ZOOLÓGICO

Em Belo Horizonte, começou ontem o controle de entrada de visitantes na Fundação Zoobotânica, reaberta depois de uma semana em que passou por adequações em decorrência da febre amarela. Só pode visitar o zoológico e o aquário do Rio São Francisco quem apresentar documento de identidade e cartão de vacina, comprovando a imunização contra febre amarela há pelo menos 10 dias.

Bugio, parauacu, sagui-imperador, macaco-da-noite, mico-leão-de-cara-dourada, mico-leão-dourado, macaco-prego e guigó – espécies de primatas mais vulneráveis à contaminação pela febre amarela – foram retirados da área de visitação. Eles foram transferidos para recintos adaptados, fechados com telas finas que não permitem a passagem de mosquitos, para ficar isolados do contato com os possíveis vetores da doença. Esses recintos ficam fora da área aberta aos visitantes, ao lado do hospital veterinário, e têm acesso restrito a tratadores, cuidadores e funcionários do zoo.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212