Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Avanço de casos fatais da febre amarela leva medo ao interior - Jornal Brasil em Folhas
Avanço de casos fatais da febre amarela leva medo ao interior


Enquanto autoridades federais, estaduais e municipais não se entendem sobre o combate, mais uma cidade mineira decretou situação de emergência em saúde pública por causa do avanço da febre amarela. A Prefeitura de Conceição dos Ouros, no Sul de Minas, tomou a medida depois que duas pessoas morreram em decorrência da doença. Balanço feito pelo Estado de Minas com base em dados da SES e de administrações municipais mostra que já são 50 mortes registradas neste ano apenas em território mineiro.

Minas Gerais também decretou emergência em 162 cidades. Em 20 de janeiro, o governo já havia anunciado a medida para 92 municípios, das regionais de Saúde de Belo Horizonte, Itabira e Ponte Nova. Dias depois publicou outro documento, acrescentando mais 62, que fazem parte das áreas das regionais de Juiz de Fora e Barbacena. Além das duas mortes de Conceição dos Ouros, Ouro Branco, localizado na Região Central, confirmou mais uma vítima da doença. De acordo com a Secretaria de Saúde de Barbacena, o homem tinha 41 anos e não havia se vacinado. Mariana, ainda na Região Central do estado, divulgou boletim em que registra mais dos casos fatais, somando sete óbitos de pacientes com a doença, elevando para pelo menos 50 mortes pela enfermidade em Minas neste ano.

ZOOLÓGICO

Em Belo Horizonte, começou ontem o controle de entrada de visitantes na Fundação Zoobotânica, reaberta depois de uma semana em que passou por adequações em decorrência da febre amarela. Só pode visitar o zoológico e o aquário do Rio São Francisco quem apresentar documento de identidade e cartão de vacina, comprovando a imunização contra febre amarela há pelo menos 10 dias.

Bugio, parauacu, sagui-imperador, macaco-da-noite, mico-leão-de-cara-dourada, mico-leão-dourado, macaco-prego e guigó – espécies de primatas mais vulneráveis à contaminação pela febre amarela – foram retirados da área de visitação. Eles foram transferidos para recintos adaptados, fechados com telas finas que não permitem a passagem de mosquitos, para ficar isolados do contato com os possíveis vetores da doença. Esses recintos ficam fora da área aberta aos visitantes, ao lado do hospital veterinário, e têm acesso restrito a tratadores, cuidadores e funcionários do zoo.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212