Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


27 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Mais de 80 crianças foram mortas no Oriente Médio em janeiro - Jornal Brasil em Folhas
Mais de 80 crianças foram mortas no Oriente Médio em janeiro


Pelo menos 83 crianças, a maioria sírias, morreram durante um sangrento janeiro nos conflitos que assolam seus países no Oriente Médio e África do Norte, informou o Unicef nesta segunda-feira.

A intensificação da violência no Iraque, na Líbia, na Síria, no Estado da Palestina e no Iêmen teve consequências devastadoras para a vida das crianças, afirma em comunicado o diretor regional do Unicef, Geert Cappelaere.

Somente em janeiro, pelo menos 83 crianças foram mortas (...) em conflitos em curso, ataques suicidas ou de frio ao fugir de zonas de guerra, disse ele.

São crianças, crianças! (...) que pagaram o preço mais alto por guerras que não são responsáveis, acrescentou Cappelaere.

Na Síria, onde a guerra acontece desde 2011, 59 crianças foram mortas nas últimas quatro semanas, de acordo com o Unicef.

No Iêmen, 16 crianças também perderam a vida em ataques em todo o país da península arábica.

Em Benghazi, no leste da Líbia, três crianças foram mortas em um ataque suicida e outras três enquanto brincavam perto de dispositivos explosivos, indica o comunicado.

Uma mina terrestre também matou uma criança na cidade velha de Mossul, antiga fortaleza do grupo do Estado Islâmico (EI) no norte do Iraque, enquanto uma criança foi baleada em uma aldeia perto de Ramallah, na Cisjordânia ocupada por Israel.

No Líbano, 16 refugiados sírios, incluindo quatro crianças, que fugiam de seu país morreram de frio durante uma tempestade severa, informa o Unicef.

Não são centenas, nem milhares, mas milhões de crianças no Oriente Médio e Norte da África que perderam sua infância, mutiladas, traumatizadas, presas, impedidas de ir para a escola (...) e privadas do direito mais básico, de brincar, enumera o comunicado.

Para Cappelaere, podemos silenciar as crianças, mas suas vozes continuarão a ser ouvidas!. Sua mensagem é nossa: a proteção das crianças é primordial em todas as circunstâncias, faz parte das leis da guerra, disse ele.

 

Últimas Notícias

Temer deixa prédio da Polícia Federal no Rio
Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212