Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Mais de 80 crianças foram mortas no Oriente Médio em janeiro - Jornal Brasil em Folhas
Mais de 80 crianças foram mortas no Oriente Médio em janeiro


Pelo menos 83 crianças, a maioria sírias, morreram durante um sangrento janeiro nos conflitos que assolam seus países no Oriente Médio e África do Norte, informou o Unicef nesta segunda-feira.

A intensificação da violência no Iraque, na Líbia, na Síria, no Estado da Palestina e no Iêmen teve consequências devastadoras para a vida das crianças, afirma em comunicado o diretor regional do Unicef, Geert Cappelaere.

Somente em janeiro, pelo menos 83 crianças foram mortas (...) em conflitos em curso, ataques suicidas ou de frio ao fugir de zonas de guerra, disse ele.

São crianças, crianças! (...) que pagaram o preço mais alto por guerras que não são responsáveis, acrescentou Cappelaere.

Na Síria, onde a guerra acontece desde 2011, 59 crianças foram mortas nas últimas quatro semanas, de acordo com o Unicef.

No Iêmen, 16 crianças também perderam a vida em ataques em todo o país da península arábica.

Em Benghazi, no leste da Líbia, três crianças foram mortas em um ataque suicida e outras três enquanto brincavam perto de dispositivos explosivos, indica o comunicado.

Uma mina terrestre também matou uma criança na cidade velha de Mossul, antiga fortaleza do grupo do Estado Islâmico (EI) no norte do Iraque, enquanto uma criança foi baleada em uma aldeia perto de Ramallah, na Cisjordânia ocupada por Israel.

No Líbano, 16 refugiados sírios, incluindo quatro crianças, que fugiam de seu país morreram de frio durante uma tempestade severa, informa o Unicef.

Não são centenas, nem milhares, mas milhões de crianças no Oriente Médio e Norte da África que perderam sua infância, mutiladas, traumatizadas, presas, impedidas de ir para a escola (...) e privadas do direito mais básico, de brincar, enumera o comunicado.

Para Cappelaere, podemos silenciar as crianças, mas suas vozes continuarão a ser ouvidas!. Sua mensagem é nossa: a proteção das crianças é primordial em todas as circunstâncias, faz parte das leis da guerra, disse ele.

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212