Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Uma Thurman acusa Harvey Weinstein de assédio - Jornal Brasil em Folhas
Uma Thurman acusa Harvey Weinstein de assédio


Uma Thurman, a musa do diretor Quentin Tarantino e próxima a Harvey Weinstein, juntou-se à lista de atrizes que acusam o magnata de Hollywood de assédio, detalhando em uma entrevista sua raiva e desapontamento.

A atriz falou em uma entrevista publicada no sábado (3) pelo New York Times para contar a agressão que sofreu. Os fatos ocorreram após o lançamento de Pulp Fiction em 1994.

Depois de uma reunião de trabalho em Paris, Harvey Weinstein convidou a atriz para seu quarto e depois para uma sauna de hotel. Uma Thurman encontrou seu produtor em Londres, também em seu quarto de hotel.

Ele me empurrou, tentou se esfregar em mim. Ele tentou se mostrar, tentou todas as coisas mais nojentas. Mas ele não conseguiu nada e me forçou. Você fica como um animal tentando fugir, relata na entrevista.

Pouco depois, Uma Thurman foi ao hotel do abusador para encará-lo. Ela explica tê-lo advertido: Se você fizer o que fez com outras pessoas, vai arruinar sua carreira, sua reputação e perder sua família, eu garanto.

O Sr. Weinstein admite ter tentando avanços contra a Sra. Thurman depois de interpretar mal a sua atitude em Paris. Ele imediatamente se desculpou, mas se pergunta por que Uma Thurman esperou 25 anos para tornar pública essas alegações, reagiu em um comunicado uma porta-voz do ex-produtor, que atualmente está em terapia no Arizona.

Harvey Weinstein está atordoado e entristecido, assegurou seu advogado Ben Brafman em um comunicado, acrescentando que as declarações de Uma Thurman ao New York Times serão examinadas e verificadas cuidadosamente antes que se decida se um procedimento legal contra ela é apropriado.

De acordo com sua amiga Ilona Herman, que a acompanhava, Uma Thurman borbulhava de raiva quando deixou Harvey Weinstein depois da discussão naquele dia. O produtor ameaçou pôr em perigo sua carreira.

Eu me sinto tão mal por todas as mulheres atacadas depois de mim, afirmou a atriz, de 47 anos, na entrevista, comparando essas vítimas a cordeiros entrando no matadouro.

Uma Thurman conhece nossa indústria há 30 anos. Tenho muito respeito por ela, ela é uma guerreira, comentou a atriz Jessica Chastain, enquanto Reese Witherspoon falou de um testemunho profundamente chocante.

- Ele tentou me matar -

Dois dos maiores sucessos de Uma Thurman, Pulp Fiction e Kill Bill, foram dirigidos por Tarantino e produzidos por Weinstein, enquanto a dupla era uma das mais poderosas em Hollywood na época.

Uma Thurman contou a agressão que sofreu para Tarantino, que não a levou a sério. Ele colocou a história de lado e disse a si mesmo: Oh, pobre Harvey, tenta ter garotas que não pode ter.

Foi apenas em 2001, quando ela insistiu, perturbada pela presença de Weinstein durante o Festival de Cinema de Cannes, que o cineasta percebeu a gravidade dos fatos contra seu produtor. Ele entendeu, falou com Harvey.

O fundador da Miramax então se desculpou com a atriz. Seu olhar mudou, a agressividade se transformou em vergonha.

As ações de Tarantino durante a filmagem de Kill Bill: Vol.2 (2004) também foram denunciadas por Uma Thurman, que descreve um comportamento violento, à beira do sadismo.

A atriz não queria dirigir um carro antigo em uma famosa cena onde encontraria Bill, já que um membro da equipe de filmagem havia alertado sobre o mau estado do veículo.

Recusando usar uma dublê, o diretor forçou a estrela a dirigir o carro a toda velocidade. Uma Thurman sofreu um acidente, chegando a pensar que havia perdido o movimento das pernas. Até hoje, ela diz que ainda sente dores no pescoço e nos joelhos.

Tivemos uma briga feia, eu o acusei de tentar me matar.

O diretor vencedor de vários prêmios Oscar explicou em outubro que sabia há anos sobre as ações de Harvey Weinstein, agora acusado de assédio sexual, agressão e estupro por uma centena de mulheres. Eu sabia o suficiente para agir mais do que fiz, reconheceu.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212