Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


11 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Como escapar do guepardo, o animal terrestre mais rápido do mundo? - Jornal Brasil em Folhas
Como escapar do guepardo, o animal terrestre mais rápido do mundo?


A perseguição do guepardo a sua presa é uma das mais conhecidas e dramáticas batalhas na natureza selvagem.

Esse felino é o animal terrestre mais veloz do mundo, mas nem sempre a rapidez garante o sucesso de sua caçada.

Em média, um guepardo só consegue capturar seu alvo em metade das tentativas.

Qual é, então, o segredo de quem consegue escapar?

Cientistas puseram coleiras para monitorar guepardos e suas presas a fim de descobrir isso.

Os equipamentos foram criados especialmente para registrar a velocidade do animal, sua aceleração e desaceleração e quão rápido eles consegue mudar de direção.

Uma pequena amostra do seu tecido muscular foi coletada para analisar a força muscular máxima do animal.

O estudo publicado na revista Nature também faz parte do documentário Big Cats (Grandes Felinos, em tradução livre), da BBC.

“Vemos o espetáculo da caçada em documentários sobre vida selvagem, mas, aqui, estamos registrando milhares de caçadas, inclusive as que não vemos, como quando caçam à noite ou em meio à vegetação mais densa”, diz o veterinário Alan Wilson, pesquisador do Royal Veterinary College, no Reino Unido, que conduziu a pesquisa em parceria com cientistas da Universidade de Botsuana.

“Isso nos permite ter um retrato completo de como funciona uma caçada e ter um modelo computacional capaz de nos dizer como será uma perseguição e seu resultado.”

Foi assim que os cientistas descobriram que os animais que escapam de guepardos fazem isso ao dar uma guinada para o lado no último segundo.

Quanto maior a velocidade de um predador, mais difícil é para ele virar tão abruptamente. Para um animal tão rápido quanto o guepardo, que atinge até 100 km/h, essa manobra é ainda mais complexa.

“A presa define como será a caçada”, diz Winson. “Ela decide quando correr, quão rápido ela irá. Então, está sempre um passo à frente do predador.”

Com isso, o predador precisa ser mais atlético, acrescenta o pesquisador, para ser capaz de competir com a mais habilidade da presa de realizar manobras.

O guepardo tem 20% mais força muscular, uma capacidade de aceleração 37% maior e 72% de desaceleração em comparação com uma de suas presas mais comuns, a impala.

É essa capacidade de mudar de direção que permite à impala e outros animais sobreviverem mesmo sem superar o felino na corrida.

“Se a presa tenta escapar usando velocidade, faz uma péssima escolha, porque o guepardo é mais rápido e consegue acelerar mais velozmente. Fazer isso favorece o predador”, afirma Wilson.

“A melhor tática para a presa é correr relativamente devagar e virar no último momento possível.”

Cientistas atribuem essas diferenças a um reflexo da “corrida da evolução” entre presa e predador.

Em outras palavras, se os predadores fossem muito bem-sucedidos em suas caçadas, eles acabariam ficando sem ter o que caçar em pouco tempo.

 

Últimas Notícias

Jornalista e radialista Laerte Junior morre aos 52 anos
Prazo para consolidar dívidas do Refis começa nesta segunda
Novo crediário para cartão é estudado para 2019, diz Febraban
Receita libera hoje consulta a sétimo lote de restituição do IR 2018
Intenção de investimentos da indústria cresce 4,4 pontos
Mercado reduz estimativa de inflação pela sétima vez
Demanda por bens industriais cresce 0,3% em outubro
Anatel apreende mais de 126 mil produtos não certificados

MAIS NOTICIAS

 

Novo crediário para cartão é estudado para 2019, diz Febraban
 
 
Demanda por bens industriais cresce 0,3% em outubro
 
 
Diálogo Brasil debate projeto Escola sem Partido
 
 
Brasileiro é eleito para Associação Internacional de Seguridade Social
 
 
Polícia e MP de Goiás vão apurar denúncias contra médium João de Deus
 
 
ONG homenageia policiais militares mortos no estado do Rio

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212