Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 China quer acabar com as últimas transações com criptomoedas - Jornal Brasil em Folhas
China quer acabar com as últimas transações com criptomoedas


O governo de Pequim quer acabar com as últimas transações em criptomoedas, como o bitcoin, que ainda são feitas na China, ao bloquear o acesso às plataformas estrangeiras e retirar seus aplicativos das plataformas móveis locais.

O objetivo é, em nome da estabilidade financeira, apagar os últimos focos das moedas virtuais na China e dar fim à arrecadação de fundos em criptomoedas, que voltam a crescer, explicou neste domingo a publicação oficial Jinrong Shibao, revista financeira sob a égide do banco central (PBOC).

O regime já havia endurecido o tom contra as moedas eletrônicas no ano passado: as plataformas de comércio sediadas na China tiveram que interromper suas operações em setembro, e as autoridades proibiram estritamente qualquer arrecadação de fundos para criptomoedas (ICO) no país.

Como consequência, grandes plataformas chinesas, que detinham em agosto mais de 20% do volume mundial de bitcoins, passaram a ter menos de 1% dos intercâmbios globais de criptomoedas, segundo o Jinrong Shibao.

Mas o entusiasmo de alguns investidores chineses lhes estimulou a buscar alternativas, como sites especializados no comércio de criptomoedas, as transações diretas e pessoa a pessoa e os acessos a plataformas no exterior, em especial em Hong Kong e Japão, fora do alcance dos reguladores chineses.

Constelação de canais

Nas redes sociais onipresentes chinesas (WeChat, QQ), ou russas (Telegram), foram criados fóruns de discussão muito populares para realizar transações de comum acordo, enquanto anúncios sobre moedas virtuais e operações de ICO proliferaram na internet da China.

É essa constelação de canais de intercâmbio, acessíveis a partir da China, que as autoridades querem encerrar, reforçando sua supervisão de forma permanente, afirma o Jinrong Shibao.

De acordo com a publicação, os reguladores financeiros trabalharão com as autoridades de telecomunicações para fechar os sites de internet incriminados e bloquear os downloads de aplicativos que permitem o acesso a ICOs ilegais.

Também serão adotadas medidas não especificadas contra plataformas estrangeiras, e o PBOC mandou os operadores de sistemas de pagamento chineses iniciarem uma campanha de retificação, para garantir que o dinheiro que transita em seus sistemas não provém do comércio de criptomoedas.

Esse novo aperto da China acontece quando o bitcoin - maior estrela das criptomoedas - está perdendo o brilho que tinha em 2017.

Nesta segunda-feira, ele era negociado a menos de 8 mil dólares, depois de ter se aproximado, em dezembro, dos 20 mil. Esse mercado é afetado pelo endurecimento dos reguladores na Ásia, pelos problemas de algumas plataformas e por uma valorização excessiva, com aspecto claro de uma bolha, e o medo de que estourasse.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212