Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Cinco pontos fundamentais sobre as sufragistas britânicas - Jornal Brasil em Folhas
Cinco pontos fundamentais sobre as sufragistas britânicas


As sufragistas desempenharam um papel determinante para que as mulheres britânicas conquistassem, há 100 anos, o direito ao voto, em uma época na qual suas colegas de outros países tinham poucos direitos e nenhum papel no cenário político.

- As sufragistas -

As sufragistas foi um nome pejorativo atribuído em 1906 pelo jornal Daily Mail para fazer referência à União Social e Política de Mulheres, uma organização criada em 1903 por Emmeline Pankhurst em Manchester, norte do Reino Unido.

As organizações que desde 1870 reivindicavam o direito passam a ser conhecidas com este nome.

- Ações e não palavras -

As sufragistas, que adotam o nome, se consideram guerreiras guiadas pelo lema Ações e não palavras, em oposição a outros grupos mais pacíficos que atuavam como grupos de pressão.

- Métodos -

As sufragistas quebram vitrines, colocam bombas e executam atos de sabotagem na linha de energia elétrica.

O radicalismo de suas ações provocou uma forte comoção no Reino Unido, pouco acostumado a tais métodos.

A ação mais espetacular foi o atentado com bomba contra a residência do primeiro-ministro David Lloyd George em 1913.

No mesmo ano, Emily Davidson foi a primeira ativista a morrer como mártir depois de se jogar na frente de um cavalo que disputava o Derby de Epsom.

Muitas militantes foram presas e iniciaram greves de fome, quando foram alimentadas à força.

- As militantes -

Pankhurst e outras líderes foram acusadas de integrar uma elite de classe média e alta, mas conseguiram mobilizar a classe operária, especialmente as trabalhadoras das fábricas têxteis do norte do país e do bairro de East End en Londres.

Não existe uma estatística exata das militantes, mas a organização não contava com o apoio da opinião pública.

Muitas ativistas eram criticadas por mulheres que acreditavam que estavam traindo seu papel de esposas e mães.

- Legado -

No início da I Guerra Mundial, Emmeline Pankhurst pediu a suas partidárias que suspendessem as ações para apoiar os esforços do país.

As mulheres conquistaram o direito ao voto em 6 de fevereiro de 1918, mas apenas 10 anos depois, quando Emmeline Pankhurst já estava morta, receberam os mesmos direitos de voto dos homens.

As sufragistas inspiraram feministas em outros países, especialmente na França, onde participaram na conquista do direito ao voto para as mulheres em 1944.

A casa de Manchester na qual Emmeline Pankhurst criou o movimento foi transformada em museu.

 

Últimas Notícias

Deputado Marlúcio promove caminhonetadas em várias regiões de Aparecida
Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios
Brincar com os quatro elementos da natureza ajuda a criança a se desenvolver melhor
Meninas que praticam esportes, cuidado com a alimentação!
Indústria paulista fecha 2,5 mil postos de trabalho em agosto
Aneel descarta revisão de bandeira tarifária em conta de luz
BNDES: empréstimos para Cuba e Venezuela não deveriam ter sido feitos
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212