Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Presidente do Irã alerta que não negociará sobre armas - Jornal Brasil em Folhas
Presidente do Irã alerta que não negociará sobre armas


O Irã advertiu nesta terça-feira (6) que não negociará com ninguém sua capacidade militar, em particular seus mísseis balísticos, enquanto os Estados Unidos tentam proibir os programas de Teerã neste setor.

Sobre o que diz respeito aos nossos meios defensivos, aviões, mísseis ou submarinos, nosso compromisso com o mundo (...) é que não buscamos armas de destruição em massa. Não negociaremos com ninguém sobre nossas armas, declarou o presidente iraniano Hassan Rohani em uma coletiva de imprensa em Teerã.

Rohani, que se expressou por ocasião das comemorações da vitória da Revolução Islâmica de 1979, recordou a posição de seu país, segundo a qual o Irã só produz armas para sua própria defesa.

Os mísseis iranianos nunca foram ofensivos e não o serão. São defensivos e não se destinam a armas de destruição em massa porque, de qualquer forma, não temos tais armas, que são imorais e contrárias à religião (Islã), acrescentou.

A questão dos mísseis balísticos está no centro das tensões entre Teerã e os ocidentais.

A resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU de julho de 2015, adotada logo após o acordo nuclear entre Teerã e o Grupo dos Seis (Alemanha, China, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha e Rússia), diz que o Irã não pode realizar nenhuma atividade ligada a mísseis balísticos concebidos para transportar armas nucleares e menciona um período de até oito anos.

Os Estados Unidos consideram que os testes de mísseis realizados regularmente por Teerã violam esta resolução e o acordo nuclear, ao que Teera nega, justificando que tais testes não são um problema uma vez que o Irã se comprometeu a não se dotar de armas atômicas.

Apresentado por seu partidários como a melhor maneira de impedir a República Islâmica de obter a bomba atômica, o acordo nuclear iraniano é questionado por Washington desde a chegada ao poder de Donald Trump.

Neste contexto, Rohani ressaltou nesta terça que o acordo não poderia ser renegociado, apesar das ameaças americanas de reimpor sanções econômicas se não forem tomadas medidas para evitar que Teerã desenvolva mísseis balísticos.

A chave para os problemas entre Teerã e Washington está nas mãos de Washington. (Os Estados Unidos) devem parar suas ameaças, sanções e pressões e o clima entre os dois países mudará automaticamente, apontou Rohani.

Estou satisfeito que Trump, após um ano na Casa Branca, ainda não conseguiu rasgar o acordo nuclear como havia ameaçado durante a campanha, acrescentou.

O presidente americano lançou no mês passado um ultimato aos europeus, afirmando que retiraria seu país do acordo em maio, caso o texto não seja modificado.

Estados Unidos e Irã romperam relações diplomáticas em 1980 após a tomada de reféns na embaixada americana em Teerã por revolucionários iranianos.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212