Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Oct de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Bancos acompanham BC e anunciam nono corte nos juros do crédito - Jornal Brasil em Folhas
Bancos acompanham BC e anunciam nono corte nos juros do crédito


Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander anunciaram na sequência da decisão do Banco Central de cortar a básica de juros da economia - a Selic -, de 7,00% pra 6,75% ao ano, que vão repassar a redução para suas principais linhas de crédito.

Os juros menores vão beneficiar, conforme comunicados dessas instituições, pessoas físicas e jurídicas. Trata-se da nona redução consecutiva que os bancos anunciam desde o início do processo de afrouxamento monetário por parte do Banco Central

No Banco do Brasil, as novas taxas começam a valer a partir da próxima sexta. No caso das pessoas físicas, o juro menor será para os empréstimos em que o cliente oferecer seu automóvel como garantia, nos quais as taxas serão reduzidas de 1,83% ao mês para 1,73% ao mês, na faixa mínima. Já no caso das linhas em que o cliente oferece seu imóvel como garantia, o chamado home equity, os juros mínimos passam de 1,40% ao mês para 1,38% ao mês.

No financiamento de veículos novos e seminovos, contratados via canal mobile - no aplicativo do BB -, a taxa passará para 0,93% ao mês, ante 0,95% ao mês cobrados até então. Para as linhas de empréstimo pessoal sem garantia, o juro mínimo será reduzida de 3,33% ao mês para 3,31% ao mês.

O BB destaca ainda que também reduzirá os juros para pessoas jurídicas. Na linha desconto de cheque, as taxas mínimas passarão para 1,32% ao mês ante 1,34%. No desconto de títulos, vão cair dos atuais 1,16% ao mês para 1,14% ao mês. Os juros de linhas de capital de giro e antecipação de recebíveis para lojistas também ficarão mais atrativos.

O Santander informou que as novas taxas vão valer a partir da próxima segunda-feira, dia 12. O juro mínimo do financiamento de veículos cairá de 1,08% para 0,97% ao mês. No crédito pessoal, passará de 1,59% para 1,57% ao mês, e, no cheque especial, de 2,25% ao mês para 2,23% ao mês.

Estamos no menor patamar histórico da taxa básica no País. Temos o compromisso de levar a dinâmica de redução deste componente dos juros bancários aos nossos clientes, para que eles possam prosperar cada vez mais, afirma Eduardo Jurcevic, superintendente executivo de Produtos de Crédito à Pessoa Física do Santander.

Já o Bradesco informou que vai repassar o corte de 0,25 ponto porcentual da taxa Selic em suas principais linhas de crédito de pessoa física e pessoa jurídica.

No Itaú Unibanco, as novas taxas passam a valer a partir do dia 14. Segundo o banco, haverá redução das taxas do empréstimo pessoal para pessoas físicas, com a taxa mínima passando de 1,48% para 1,37% ao mês. Para micro e pequenas empresas, serão alterados os juros cobrados na linha de capital de giro. O banco destaca ainda, em nota à imprensa, que no crédito a veículos, no qual apresentou crescimento do volume concedido no quarto trimestre de 2017 pela primeira vez em 21 trimestres, já vem reduzindo a taxa de financiamento, convergindo com a queda da Selic.

Apesar da redução dos juros, que caíram ao menor patamar na história do País, o presidente executivo do Itaú Unibanco, Candido Bracher, afirmou na terça-feira (6) em conversa com a imprensa, que espera que os spreads se mantenham estáveis neste ano a despeito da queda da Selic e da agenda do BC para baixar o custo financeiro do País. Tende a contribuir para isso, conforme ele, uma maior demanda por crédito que deve elevar o volume de empréstimos e, consequentemente, compensar menores margens.

Para o presidente da Austin Rating, Erivelto Rodrigues, os bancos terão de buscar formas de compensar a queda dos juros neste ano, já que as margens financeiras serão impactadas tanto do lado da tesouraria quanto nas transações de crédito. Não terá outro jeito - para os bancos compensarem as menores margens - se não crescer a carteira de crédito com qualidade neste ano, avalia ele, em entrevista ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, e que espera que o crédito cresça 8% neste ano após dois exercícios consecutivos de queda.

 

Últimas Notícias

Brasil tem mais de 2,5 milhões de professores
Polícia Ambiental busca jiboia desaparecida em prédio de Brasília
Justiça de Goiás bloqueia bens de Marconi Perillo e de ex-secretário
Partidos lançam frente de apoio à candidatura de Haddad
Governo decide manter começo do horário de verão em 4 de novembro
Polícia descobre autora de tratamento estético que matou mulher no Rio
Corregedor instaura processo para apurar exoneração de juíza no Pará
Mercosul repudia atos na Nicarágua e adverte sobre risco à democracia

MAIS NOTICIAS

 

Equipe de transição deve ser definida hoje à tarde, diz Caiado
 
 
ONS vai reforçar ações de segurança energética nas eleições e no Enem
 
 
Inflação medida pelo INPC sobe para 0,30% em setembro
 
 
Universidades particulares terão disciplina sobre primeira infância
 
 
Com Enem, horário de verão começa no dia 18 de novembro
 
 
Governo anuncia recursos de R$ 600 milhões para o ensino médio

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212