Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Justiça do Rio suspende efeitos de assembleia da Oi marcada por sócio português - Jornal Brasil em Folhas
Justiça do Rio suspende efeitos de assembleia da Oi marcada por sócio português


A Justiça Estadual do Rio de Janeiro concedeu hoje (8) liminar suspendendo os efeitos das deliberações da assembleia de acionistas da Oi realizada na tarde de ontem e que mudou a composição da diretoria da empresa, entre outros pontos.

A assembleia foi convocada por um dos acionistas da empresa, a Bratel, pertencente à Pharol (antiga Portugal Telecom), para rever determinados pontos do acordo de recuperação judicial da empresa, aprovado pela assembleia de credores em dezembro do ano passado e homologado pela Justiça do Rio de Janeiro no mês passado.

Na decisão, o juiz Ricardo Laffayete Campos, da 7ª Vara Empresarial do Rio, acolheu pedido da Oi pedindo para decretar a ilegalidade da assembleia por desconsiderar a decisão judicial que homologou o plano de recuperação. “Eventual alteração do plano de recuperação não poderia ser realizado extrajudicialmente”, disse o magistrado na decisão.

No final da tarde de quarta-feira, a Oi divulgou nota afirmando que não reconheceria as deliberações da assembleia por considerá-la ilegal. “A pretensa assembleia é ilegal e desobedece sucessivas decisões judiciais que deliberaram sobre o tema, além de desrespeitar o plano de recuperação judicial aprovado por ampla maioria pelos credores da companhia e homologado pela Justiça”, disse a Oi.

Novo presidente

Entre as decisões, a assembleia aprovou a abertura de processo de responsabilização contra o presidente da Oi, Eurico Teles, e o diretor Financeiro e de Relações com Investidores, Carlos Augusto Brandão, bem como a destituição dos executivos dos seus cargos.

No lugar de Teles, os acionistas elegeram Pedro Zañartu Gubert Moraes Leitão como diretor-presidente. Como Moraes não possui visto de residência no Brasil, os acionistas elegeram Thomas Cornelius Reichenheim como diretor-presidente interino. No lugar do diretor financeiro, foi escolhido Leo Julian Simpson.

No entendimento do magistrado, a alteração na composição da diretoria da empresa, se fosse considerada legal, traria instabilidade à recuperação da Oi. “Qualquer assembleia em que se modifique a governança da recuperanda afeta não só a sua administração, como também, descumpre a necessidade de dar estabilidade à atual administração da companhia para conduzir seu processo de recuperação”, disse o juiz.

Edição: Davi Oliveira

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212