Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Justiça do Rio suspende efeitos de assembleia da Oi marcada por sócio português - Jornal Brasil em Folhas
Justiça do Rio suspende efeitos de assembleia da Oi marcada por sócio português


A Justiça Estadual do Rio de Janeiro concedeu hoje (8) liminar suspendendo os efeitos das deliberações da assembleia de acionistas da Oi realizada na tarde de ontem e que mudou a composição da diretoria da empresa, entre outros pontos.

A assembleia foi convocada por um dos acionistas da empresa, a Bratel, pertencente à Pharol (antiga Portugal Telecom), para rever determinados pontos do acordo de recuperação judicial da empresa, aprovado pela assembleia de credores em dezembro do ano passado e homologado pela Justiça do Rio de Janeiro no mês passado.

Na decisão, o juiz Ricardo Laffayete Campos, da 7ª Vara Empresarial do Rio, acolheu pedido da Oi pedindo para decretar a ilegalidade da assembleia por desconsiderar a decisão judicial que homologou o plano de recuperação. “Eventual alteração do plano de recuperação não poderia ser realizado extrajudicialmente”, disse o magistrado na decisão.

No final da tarde de quarta-feira, a Oi divulgou nota afirmando que não reconheceria as deliberações da assembleia por considerá-la ilegal. “A pretensa assembleia é ilegal e desobedece sucessivas decisões judiciais que deliberaram sobre o tema, além de desrespeitar o plano de recuperação judicial aprovado por ampla maioria pelos credores da companhia e homologado pela Justiça”, disse a Oi.

Novo presidente

Entre as decisões, a assembleia aprovou a abertura de processo de responsabilização contra o presidente da Oi, Eurico Teles, e o diretor Financeiro e de Relações com Investidores, Carlos Augusto Brandão, bem como a destituição dos executivos dos seus cargos.

No lugar de Teles, os acionistas elegeram Pedro Zañartu Gubert Moraes Leitão como diretor-presidente. Como Moraes não possui visto de residência no Brasil, os acionistas elegeram Thomas Cornelius Reichenheim como diretor-presidente interino. No lugar do diretor financeiro, foi escolhido Leo Julian Simpson.

No entendimento do magistrado, a alteração na composição da diretoria da empresa, se fosse considerada legal, traria instabilidade à recuperação da Oi. “Qualquer assembleia em que se modifique a governança da recuperanda afeta não só a sua administração, como também, descumpre a necessidade de dar estabilidade à atual administração da companhia para conduzir seu processo de recuperação”, disse o juiz.

Edição: Davi Oliveira

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212