Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Jul de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Mocidade Independente mostra na avenida as relações entre a Índia e o Brasil - Jornal Brasil em Folhas
Mocidade Independente mostra na avenida as relações entre a Índia e o Brasil


Com o original enredo Namastê... a estrela que habita em mim saúda a que existe em você, a escola de samba Mocidade Independente de Padre Miguel, do grupo especial, entra na passarela da Marquês de Sapucaí relacionando os aspectos que unem a Índia e o Brasil.

O objetivo é mostrar “tudo que de Índia há no Brasil e se tornou identidade brasileira”, explicou o historiador Fábio Fabato, que ajudou a desenvolver o tema. Segundo ele, o carnavalesco Alexandre Louzada foi quem “teve a sacada” de mostrar tudo de indiano que se transformou em identidade nacional no Brasil. “Por exemplo, a banana é de origem indiana e tem toda cara de Brasil, a marchinha de carnaval e tudo mais. Até a cana-de-açúcar veio da Índia”, disse.

Fabato acredita que o setor do desfile que vai tratar das influências indianas na alimentação brasileira é onde está a sua expectativa de causar mais impacto no público. Ele destacou que no samba enredo tem uma analogia dessa relação: “o deus hindu Brahma foi quem guiou as caravelas de Portugal e trouxe a Índia ao Gantois da Mãe querida”.

“A gente brinca que o tabuleiro da baiana veio da Índia, por incrível que pareça. A gente brinca até que o próprio carnaval veio. A [escola de samba] Mangueira se chama Mangueira, porque havia muitas árvores da manga no morro [onde se localiza a escola] e a Portela nasceu de uma jaqueira. A gente brinca que, de uma certa forma, até o samba tem uma ajudinha indiana. Há um setor todo de comida e de gastronomia absolutamente brasileira porque fala do tabuleiro da baiana. Todas com origem na Índia”, apontou.

Outro setor que deve causar impacto, segundo o historiador, é a parte final do desfile, quando a escola vai fazer um elo entre o líder indiano Gandhi e os pacifistas brasileiros. “Haverá um encontro de pacifistas para promover a paz. É um enredo totalmente pacifista, com uma mensagem inclusiva no final”, revelou.

Entusiasta nato

A proximidade do historiador com a Mocidade vem de longe. Ele já foi até compositor e diretor cultural da escola, mas começou a flertar com a agremiação quando ainda era criança e frequentava a quadra em Padre Miguel acompanhando os pais. Depois disso, já adulto, escreveu a história da agremiação. “Há duas biografias sobre a Mocidade, uma delas, eu que fiz ”, contou.

Para Fabato, poder participar da elaboração do enredo foi um momento único. “Foi de fato algo muito especial. A ideia do Louzada era chegar no coração da torcida. Por isso, ele chamou um torcedor, que tem muito a ver com escola, até porque escreveu a biografia dela e entende muito da Mocidade, que vinha de dez carnavais muito ruins. Passou por uma fase absolutamente perdida e acabou que ganhou no ano passado”, apontou, destacando que o carnavalesco queria um enredo que fosse a “cara da escola”.

Enredo CEP

A ideia de trazer a Índia partiu da possibilidade de conseguir um patrocínio privado, mas a primeira recomendação do carnavalesco Alexandre Louzada foi evitar a permanência da linha do enredo do carnaval passado: “As Mil e Uma Noites de uma Mocidade Pra lá de Marrakech”, quando a escola fez referências a uma cidade do Marrocos.

“Ele ficou desesperado com o enredo da Índia, porque seria mais um enredo do que a gente chamou de enredo CEP, quer dizer, com cidade, estado, país. É aquele enredo que as escolas desenvolvem para ganhar um dinheirinho [com patrocínios pagos para tratar de um local], mas a gente tinha que falar de um jeito mais próximo do Brasil. Por isso a gente trouxe essa pegada de brasilidade que tem tudo a ver com o Fernando Pinto, que foi carnavalesco da escola nos anos 80 e trazia uma linguagem muito brasileira. Também com o carnavalesco Renato Lage... Daí, decidi extrair desse enredo da Índia o que mais tem de brasilidade”, explicou Fábio Fabato.

Ele disse que agora a escola inverteu a lógica das escolhas dos enredos. Enquanto no do Marrocos a escola ia até aquele país, no deste ano, se deu o contrário e terá cultura popular brasileira por todos os lados. Um desses casos são as festas de Bumba meu Boi, em que o boi é considerado sagrado como a vaca é na Índia. “A gente homenageia o Bumba meu Boi, o Boi Bumbá, todas as formas de boi, sempre tão presentes no carnaval e em outras manifestações folclóricas”.

Samba bem cotado

O historiador acrescentou que o samba desse ano vai ajudar a contar bem o que foi programado para o carnaval de 2018. “O samba da Mocidade é fantástico e a maioria das enquetes dá que o samba é o melhor do ano. A gente espera até que ele ganhe o Estandarte de Ouro [premiação feita pelo jornal O Globo]. É um samba com uma assinatura estelar, feito pelo Altay Veloso e pelo Paulo César Feital, autores de grandes musicais. O enredo está todo ali e a gente espera que toque o coração das pessoas”.

No ano passado, a Mocidade Independente conquistou o título de campeã, que dividiu com a Portela, depois de contestar uma nota em que houve erro do julgador.

Edição: Augusto Queiroz

 

Últimas Notícias

Goiás Fomento liberou R$ 37 milhões para setor empresarial de Aparecida de Goiânia
Food Garden Flamboyant oferece conteúdo e o melhor da gastronomia
TIM contempla clientes de todo o Brasil com um par de ingressos para cinemas
Goiás quer menos desperdício de dinheiro e mais ações sociais efetivas em parceria com as igrejas, diz Ronaldo Caiado em Catalão
Evolução de Meirelles em pesquisas anima MDB
Lotéricas lutam para continuar recebendo faturas da Enel
Congresso aprova diretrizes orçamentárias para 2019
Senado aprova projeto relatado por Caiado que cria política de assistência a pacientes com doenças raras

MAIS NOTICIAS

 

Relatório final da LDO pode ser entregue hoje na Comissão de Orçamento
 
 
Parecer da LDO veta renúncia fiscal, reduz custeio e congela salários
 
 
EBC suspende perfis nas redes sociais durante período eleitoral
 
 
Câmara pode votar nesta quarta projeto da Escola sem Partido
 
 
Brasil e Vietnã assinam acordos em aviação e agricultura
 
 
Toffoli cassa decisão de Moro e livra Dirceu de tornozeleira

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212