Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Blocos arrastaram no Rio 755 mil foliões neste domingo, segundo prefeitura - Jornal Brasil em Folhas
Blocos arrastaram no Rio 755 mil foliões neste domingo, segundo prefeitura


Boletim divulgado hoje (12) pela Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (Riotur) informa que os maiores blocos que saíram ontem (11) pela cidade arrastaram cerca de 755 mil foliões, sendo os maiores o Bangalafumenga (400 mil pessoas), no Aterro do Flamengo; Simpatia é Quase Amor (220 mil pessoas), na orla de Ipanema; Areia (80 mil pessoas), no Leblon; e o Cordão do Boitatá (55 mil pessoas), no centro do Rio.
No sábado (10), abrindo o carnaval, o Cordão da Bola Preta comemorou seu centenário seguido por 340 mil pessoas na Avenida Presidente Antonio Carlos, no centro, enquanto o bloco Favorita teve 690 mil seguidores na orla de Copacabana, zona sul, segundo a Riotur, registrando o maior público de foliões entre os blocos.

O Bangalafumenga, que desfilou ontem (11), é uma fusão do funk com o samba e foi fundado pelo poeta Chacal e os músicos Rodrigo Maranhão e Celso Alvim como resultado de um encontro no Planetário da Gávea entre artistas que se dedicavam à poesia, samba e improvisos.

Um dos blocos mais tradicionais do Rio, que desfila desde 1985 pelas ruas de Ipanema, o Simpatia É Quase Amor arrastou uma multidão também no domingo (11). A agremiação, que se notabilizou pelo bom humor e pelas críticas políticas, saiu com a música Samba da Adivinhação, ironizando o atual prefeito do Rio, Marcelo Crivella.

Já o Cordão Boitatá foi fundado em 1996. Em 2000, o bloco que hoje é formado por mais de 100 músicos profissionais e amadores adotou como palco principal a Praça XV, com o objetivo de levantar a discussão sobre o processo de ocupação e revitalização do centro do Rio de Janeiro.

Movimento do metrô

O balanço da operação do fim de semana de carnaval, divulgado há pouco pelo MetrôRio, revela que no sábado (10) e domingo (11), foram transportadas mais de 1,5 milhão de pessoas nas linhas 1, 2 e 4, aumento próximo de 150 mil passageiros em relação a igual período de 2017.

A concessionária informou que, ao contrário, do que ocorre durante a operação regular do sistema, os embarques e desembarques no carnaval se concentram em horários e locais de blocos, o que representa um “complicador para o fluxo de pessoas nas estações”.

A nota do MetrôRio esclarece que “desde sexta-feira (9), foram registrados danos a 37 trens, entre vidros quebrados, portas danificadas e composições pichadas. No sábado, em razão de problemas como retenção de portas das composições e de 11 acessos indevidos à via ao longo de todo o dia, houve atrasos e o sistema chegou a ser paralisado por, ao todo, 40 minutos”. A concessionária está operando com equipes reforçadas e operação de limpeza ampliada.

Para atender ao movimento de carnaval, o MetrôRio está funcionando em regime de 24 horas por dia desde 5h de sexta-feira (9) até as 23h59 da terça-feira (13). Desde as 5h de sábado (10), as composições da Linha 2 fazem o trajeto direto entre o bairro da Pavuna, na zona norte, até o Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, zona oeste, sem necessidade de transferência entre as duas linhas.

Edição: Davi Oliveira

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212