Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Produtos químicos presentes no ambiente podem aumentar o peso corporal - Jornal Brasil em Folhas
Produtos químicos presentes no ambiente podem aumentar o peso corporal


Os pesquisadores descobriram que os PFAS - também conhecidos como obesogenes por sua interferência com a regulação do peso corporal - estão vinculados a um ritmo metabólico mais lento em momentos de repouso.

Os produtos químicos usados em em em embalagens de alimentos, frigideiras com coberturas antiaderentes, pacotes de alimentos e peças de roupas podem fazer com que o peso corporal ao interferir no metabolismo, especialmente o das mulheres, afirma um estudo americano divulgado nesta terça-feira.

Estes produtos - conhecidos como substâncias de perfluoroalquil (PFAS) - foram anteriormente vinculados ao câncer, alterações hormonais, disfunção imunológica e colesterol elevado.

Agora, pela primeira vez, nossas descobertas assinalam um novo caminho no qual os PFAS podem estar interferindo na regulação do peso corporal nos humanos e contribuindo, portanto, para a epidemia de obesidade, afirmou o autor principal do estudo, Qi Sun, professor do departamento de Nutrição da Universidade de Harvard.

Os pesquisadores descobriram que os PFAS - também conhecidos como obesogenes por sua interferência com a regulação do peso corporal - estão vinculados a um ritmo metabólico mais lento em momentos de repouso.

Pessoas com altos níveis de PFAS em seu sangue também apresentaram metabolismo mais lento no processo de perda de peso.

O estudo avaliou dados de 621 pessoas com sobrepeso e obesidade que participaram um teste clínico realizado em meados da década de 2000.

O estudo analisou os efeitos de quatro dietas para perder peso, mas saudáveis para o coração, por um período de dois anos.

Em média, os voluntários perderam 6,4 kg de peso nos seis primeiros meses, mas ganharam 2,7 kg no ano e meio seguinte.

Aqueles que ganharam mais peso depois também tinham as maiores concentrações de PFAS no sangue, um vínculo mais forte entre as mulheres, segundo o estudo divulgado na publicação PLOS Medicine.

Os pesquisadores também descobriram que as pessoas com os níveis mais altos de concentração de PFAS no sangue tinham os mais baixos níveis de ritmo metabólico em estado de repouso.

Os PFAS existem há 60 anos e contaminaram fontes de água potável perto de setores industriais, bases militares e usinas de tramento de águas residuais.

Geralmente pensamos nos PFAS em termos de problemas de saúde como câncer, mas também têm um papel na obesidade, um problema de saúde considerável e que afeta milhões de pessoas, explicou o coautor do estudo, Philippe Grandjean, professor de saúde ambiental em Harvard.

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212