Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Médicos Sem Fronteiras admite 24 casos de assédio ou abuso sexual em 2017 - Jornal Brasil em Folhas
Médicos Sem Fronteiras admite 24 casos de assédio ou abuso sexual em 2017


A ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF) anunciou nesta quarta-feira que comprovou a ocorrência de 24 casos de assédio ou abuso sexual em 2017 dentro de sua organização, num momento em que acusações de estupros visando empregados da Oxfam e a ONU abalam a reputação do setor humanitário.

A ONG criada na França, mas que tem 40.000 funcionários permanentes em todo o mundo, indicou em um comunicado que recebeu 146 denúncias ou alertas.

Desses, 40 casos foram identificados como casos de abuso ou assédio, sexual ou não, ao final de investigações internas, e, entre esses 40 casos, 24 foram casos de assédio ou abuso sexual, segundo a ONG.

Destes 24 casos, 19 pessoas foram demitidas, acrescentou a organização. Em outros casos, os funcionários foram sancionados por medidas disciplinares ou suspensões, aponta o comunicado.

De acordo com MSF, no entanto, os 24 casos relatados não incluem casos diretamente geridos por equipes no campo e não relatados à sede operacional em Paris.

O número real de casos de assédio ou abuso sexual pode, portanto, ser potencialmente maior.

Embora os relatos de abuso estejam crescendo constantemente, MSF está ciente de que os abusos cometidos na instituição são subestimados, reconhece a associação.

MSF traz essa revelação quando o setor humanitário é abalado por revelações sobre a ONG britânica Oxfam.

Vários funcionários da poderosa confederação de cerca de vinte ONGs presentes em mais de 90 países são acusados ​​de estupros durante missões humanitárias no Sudão do Sul, abusos sexuais na Libéria e, entre outras coisas, de recorrerem a prostitutas no Haiti, bem como no Chade.

Segundo uma investigação interna da organização sobre 120 pessoas em três países entre 2013 e 2014, ou seja, entre 11 e 14% do pessoal atuante foram vítimas ou testemunhas de agressões sexuais. No Sudão do Sul, quatro sofreram estupros ou tentativas de estupro.

A diretora adjunta da Oxfam, Penny Lawrence, renunciou na segunda-feira devido ao escândalo no Haiti que data de 2011. O caso está ligado a eventos ocorridos durante uma missão humanitária por ocasião do terremoto que deixou mais de 200 mil mortos em 2010.

A Médicos Sem Fronteiras é uma associação médica humanitária internacional, criada em 1971 em Paris por médicos e jornalistas. Intervêm em áreas afetadas por conflitos, epidemias ou desastres naturais.

A associação, que garante sua independência obtendo recursos quase que exclusivamente de doações privadas, está presente em 71 países, incluindo Iraque, Iêmen, República Democrática do Congo e Sudão do Sul.

A associação recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1999.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212