Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Cooperação entre americanos e europeus protagoniza encontro da Otan - Jornal Brasil em Folhas
Cooperação entre americanos e europeus protagoniza encontro da Otan


O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, tentou aplacar, nesta quarta-feira (14), os receios americanos sobre os planos de defesa da União Europeia, garantindo que poderiam contribuir com uma das demandas de Washington: melhor divisão do gasto militar da Aliança.

Se bem feita, a iniciativa europeia pode contribuir para uma distribuição mais justa dos gastos militares entre os 29 países da Aliança, apontou Stoltenberg na chegada à reunião ministerial de dois dias.

A ofensiva turca no norte da Síria também foi um dos destaques das discussões.

A chegada de Donald Trump à Casa Branca tem sido um incentivo para a organização transatlântica, surgida no fim da Segunda Guerra Mundial. Ele aumentou a pressão para que os membros da Otan aumentassem as despesas militares a 2% do PIB nacional antes de 2024.

Oito aliados poderiam cumprir, em 2018, o compromisso assumido quatro anos antes, na cúpula galesa, e pelo menos 15 em 2024, disse Stoltenberg em coletiva de imprensa posterior. Para ele, a divisão da carga econômica será um dos principais pontos da cúpula prevista para julho em Bruxelas.

Mas ainda há muito a fazer, disse o chefe da Aliança antes de um jantar de trabalho dos ministros da Defesa aliados com a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, dizendo que precisam de mais dinheiro, mais capacidades e mais contribuições, três aspectos inseparáveis.

- Estados Unidos, de frente -

Apesar do gasto militar ter avançado nos últimos três anos entre os aliados de Washington na Otan, segundo Stoltenberg, o secretário de Defesa americano Jim Mattis não reduziu a pressão em seu encontro com os colegas.

Os Estados Unidos não seguraram a língua durante a discussão e isso não foi agradável para alguns, afirmo um dos ministros presentes, que pediu anonimato, especialmente em um momento de desconfiança da maior potência militar com seus aliados da Otan.

A UE lançou em dezembro uma Cooperação Estruturada Permanente (Pesco) incluindo a maioria dos países e criou as bases de um Fundo Europeu de Defesa, para relançar o antigo sonho de uma Europa da Defesa.

Mas os Estados Unidos temem que este ímpeto europeu, que busca desenvolver a pesquisa e a aquisição de equipamentos militares, leve ao fechamento dos mercados de defesa da UE para sua indústria, em benefício das europeias.

Segundo uma fonte diplomática da Otan, a delegação americana não foi a única a expressar sua preocupação. Canadá, Noruega, Islândia e Albânia - países que não pertencem à UE - também levantaram suas dúvidas.

Os europeus, por outro lado, enfatizam os benefícios para a Aliança. Os europeus não procuram duplicações inúteis, de acordo com um diplomata europeu.

- Operação turca -

A ofensiva da Turquia, segunda maior potência militar da Otan, no norte da Síria contra as forças curdas - aliadas de Washington - também foi um assunto discutido no primeiro dia de reunião.

Alguns aliados, como a Alemanha, expressaram sua grande preocupação sobre a operação turca, que, para o secretário de Estado americano Rex Tillerson, enfraquece a luta contra o grupo extremista Estado Islâmico.

A Turquia, que considera as Unidades de Proteção Popular curdas (YPG) terroristas, expressou energicamente suas preocupações sobre a situação no norte da Síria, disse Stoltenberg, que pediu para Ancara agir de forma proporcional e reconheceu suas inquietações em matéria de segurança.

O secretário-geral também comemorou que a Turquia e os Estados Unidos [falaram] diretamente, após dias de tensão, embora a reunião, na qual Mattis recebeu friamente seu homólogo turco Nurettin Canikli, tenha terminado sem declarações.

Mas, em um contexto de medo com a firmeza da Rússia, especialmente na Europa Oriental, um diplomata europeu pediu para manter a unidade da Aliança, uma vez que alguns querem abrir uma brecha.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212