Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Sorveteria Easyice planeja expansão por meio de franquias - Jornal Brasil em Folhas
Sorveteria Easyice planeja expansão por meio de franquias


O começo da sorveteria Easyice há 22 anos “foi muito difícil”, como conta o mestre sorveteiro e um dos fundadores da marca, Frederico Scucato: “Não fizemos pesquisa de mercado, de ponto, de nada”. Scucato vendeu um carro, e os outros sócios – a irmã Juliana; o marido dela, Antônio de Pádua; e o irmão de Antônio, Afonso Mesquista – entraram com outra parte. “Hoje, talvez, para os quatro sócios, seria o equivalente a R$ 100 mil”, calcula Scucato.

Com um produto artesanal e feito nos fundos da loja, no bairro Funcionários, em Belo Horizonte, no início era a propaganda boca a boca que fazia os 100 kg de sorvete por mês serem vendidos.

Depois de alguns anos desafiadores e de inúmeras provações para os sócios, Scucato considera que o grande salto da empresa veio em 2009. Até 2008, o volume fabricado era de 3.000 kg a 4.000 kg por mês. A partir da fábrica no galpão, um primeiro contrato foi fechado com o supermercado Verdemar e com outras empresas, o que possibilitou o crescimento da marca e a produção em escala.

A partir de 2009, a produção da Easyice subiu para algo em torno de 8.000 kg de sorvete por mês. Hoje, são duas fábricas instaladas no bairro São João Batista, na capital mineira.

Além das quatro lojas próprias – três em BH e uma em Nova Lima –, a Easyice tem entre os maiores clientes a rede de supermercados Verdemar, duas redes no Norte de Minas (Cordeiro e Center Pão), uma no Vale do Aço (Comercial Monlevade) e uma na região de Ouro Preto e Itabirito (Irmãos Farid). “A produção média é de 20 mil kg a 25 mil kg de gelados comestíveis (picolés, sorvete e açaí) por mês, variando de acordo com a sazonalidade”, calcula.

Expansão do negócio. Scucato conta que tem um projeto para a abertura de franquias, mas ele não é imediato. “Tivemos um crescimento grande nos últimos anos, terminando de estruturar a empresa para dar o próximo salto”, explica.

Assim, a abertura de franquias deve acontecer no final de 2019. “Isso vai depender de como o país estará daqui a dois anos. Até hoje, apesar de toda a crise, continuamos crescendo. Tivemos anos de crescimento de 20% no volume de produção, e o faturamento acompanhou. Isso aconteceu nos últimos quatro ou cinco anos”, conta. Essa ascensão aconteceu, segundo o executivo, por uma relação de preço e produto, ligada à qualidade e à entrada de novas redes de supermercados.

Aplicativo

Compras

A Easyice está com serviço de entrega em casa por meio dos aplicativos iFood e Spoonrocket. “Estimamos uma alta de 15% a 20% nas vendas por meio do aplicativo”, conta Scucato.
Portfólio tem 25 sabores de picolé e outros 70 de sorvete

A cartela de sabores da sorveteria Easyice é bem variada: são 25 sabores de picolé, entre sorvetes artesanais e industriais há em torno de 70 sabores, além de quatro variações de produtos de açaí – a polpa vem congelada do Norte do país e é beneficiada nas fábricas da empresa, em Belo Horizonte, conforme conta o mestre sorveteiro e um dos fundadores da marca, Frederico Scucato.

A liderança das vendas, de acordo com Scucato, costuma variar bastante. Mas tem alguns sabores que têm fidelização garantida. “Um deles é o picolé de goiabada com queijo, e o outro é o sorvete de queijo. Eles sempre foram produzidos, desde o início da marca, e são um sucesso”, comemora o mestre sorveteiro.

Sobre o diferencial da marca, Scucato conta que os sócios nunca abriram mão da escolha do melhor ingrediente, com o acompanhamento, e um produto artesanal. “Demos um posicionamento para a marca”, explica.

Com 50 funcionários distribuídos entre as quatro lojas e as duas fábricas, Scucato informa que uma parte do produto é feita manualmente e a outra parte é automatizada. “Com a temporada do verão terminando, nós começamos a trabalhar produtos para a próxima temporada. Assim, o nível de contratação só acontece em setembro. Os investimentos são feitos de acordo com a demanda”, diz.

Produção diária

- A Easyice tem produção diária e não trabalha com estoque. Apesar de ser um processo artesanal, o sócio Frederico Scucato conta que tem muita tecnologia envolvida.

- Scucato conta que, para um sorvete chegar ao mercado, demora três dias devido aos processos de pasteurização, de homogeneização, de maturação, de batimento e de congelamento.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212