Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Equador se compromete a ser sede de diálogos até que paz com ELN se concretize - Jornal Brasil em Folhas
Equador se compromete a ser sede de diálogos até que paz com ELN se concretize


O Equador se comprometeu com a Colômbia nesta quinta-feira (15) a se manter como sede dos diálogos com o ELN até que a paz com essa guerrilha seja uma realidade, apesar do processo se encontrar em ponto morto.

Durante um encontro com seu contraparte Juan Manuel Santos na cidade de Pereira, o presidente equatoriano, Lenín Moreno, deu seu apoio irrestrito aos esforços por um acordo com a que é considerada a última guerrilha ativa na Colômbia.

Reitero nossa oferta para seguir acolhendo os diálogos até que a paz total seja uma feliz realidade, declarou Moreno durante a instalação do sexto gabinete binacional, o primeiro que participa como presidente.

Há mais de um ano Quito tem sido sede das negociações com o Exército de Libertação Nacional (ELN).

Santos congelou os diálogos no final de janeiro após uma série de atentados do grupo guevarista contra delegacias.

O presidente colombiano anunciou depois da reunião que, além da troca de informações, os dois países realizarão operações conjuntas para tornar a fronteira cada vez mais segura.

Também agradeceu a generosidade do Equador para acabar com meio século de conflito armado que envolveu guerrilhas, grupos paramilitares e agentes do Estado com um balanço de cerca de oito milhões de vítimas entre mortos, desaparecidos e deslocados.

Destacamos os esforços da Colômbia para encontrar a paz definitiva e a reconciliação nacional. É um longo processo que o Equador tem dado permanente apoio e acompanhamento que hoje ratificamos, apontou Moreno.

Seu antecessor, Rafael Correa, apoiou as negociações de Santos com as outrora Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), hoje desarmadas e convertidas em partido político.

Os dois países, que compartilham uma fronteira terrestre de 586 quilômetros, realizam periodicamente desde 2012 gabinetes binacionais para impulsionar o desenvolvimento na zona limítrofe, na qual vivem cerca de três milhões de pessoas e operam traficantes de drogas, grupos armados ilegais e criminosos.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212