Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Equador se compromete a ser sede de diálogos até que paz com ELN se concretize - Jornal Brasil em Folhas
Equador se compromete a ser sede de diálogos até que paz com ELN se concretize


O Equador se comprometeu com a Colômbia nesta quinta-feira (15) a se manter como sede dos diálogos com o ELN até que a paz com essa guerrilha seja uma realidade, apesar do processo se encontrar em ponto morto.

Durante um encontro com seu contraparte Juan Manuel Santos na cidade de Pereira, o presidente equatoriano, Lenín Moreno, deu seu apoio irrestrito aos esforços por um acordo com a que é considerada a última guerrilha ativa na Colômbia.

Reitero nossa oferta para seguir acolhendo os diálogos até que a paz total seja uma feliz realidade, declarou Moreno durante a instalação do sexto gabinete binacional, o primeiro que participa como presidente.

Há mais de um ano Quito tem sido sede das negociações com o Exército de Libertação Nacional (ELN).

Santos congelou os diálogos no final de janeiro após uma série de atentados do grupo guevarista contra delegacias.

O presidente colombiano anunciou depois da reunião que, além da troca de informações, os dois países realizarão operações conjuntas para tornar a fronteira cada vez mais segura.

Também agradeceu a generosidade do Equador para acabar com meio século de conflito armado que envolveu guerrilhas, grupos paramilitares e agentes do Estado com um balanço de cerca de oito milhões de vítimas entre mortos, desaparecidos e deslocados.

Destacamos os esforços da Colômbia para encontrar a paz definitiva e a reconciliação nacional. É um longo processo que o Equador tem dado permanente apoio e acompanhamento que hoje ratificamos, apontou Moreno.

Seu antecessor, Rafael Correa, apoiou as negociações de Santos com as outrora Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), hoje desarmadas e convertidas em partido político.

Os dois países, que compartilham uma fronteira terrestre de 586 quilômetros, realizam periodicamente desde 2012 gabinetes binacionais para impulsionar o desenvolvimento na zona limítrofe, na qual vivem cerca de três milhões de pessoas e operam traficantes de drogas, grupos armados ilegais e criminosos.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212