Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Lançado o Plano Goiás Seguro para combater o déficit previdenciário - Jornal Brasil em Folhas
Lançado o Plano Goiás Seguro para combater o déficit previdenciário


O governador Marconi Perillo lançou nesta sexta-feira, dia 16, o Plano Goiás Seguro, o primeiro pela Fundação de Previdência Complementar do Brasil Central (Prevcom – BrC), para combater o déficit previdenciário. Marconi ressaltou que, com essa medida, Goiás se antecipa à reforma da Previdência e mitiga os impactos do sistema previdenciário, “que a todo ano suga os cofres do Tesouro os recursos para bancar o déficit da Previdência, com o qual os servidores não conseguem arcar”.

“Essa é uma medida que vai resolver o problema no futuro. Agora, a reforma da Previdência será fundamental para resolver os problemas que já existiam há algumas décadas”, pontuou, defendendo, novamente, a reforma. “Para se resolver o rombo da Previdência, é preciso aprovar a reforma. Isso não pode ser tratado com populismo. Ou a gente resolve isso ou os servidores públicos daqui a algum tempo não vão receber suas aposentadorias”, ressaltou.

Pelo Goiás Seguro, o servidor efetivo que estiver enquadrado no regime de previdência complementar e aderir ao plano receberá, de forma paritária, a contrapartida do seu patrocinador. A contrapartida será em até 8,5% da base de contribuição que superar o teto do regime geral de previdência social. A instituição oferece uma alternativa segura de planejamento para o futuro do servidor.

Já aderiram ao plano os poderes Executivo e Legislativo, os tribunais de contas do município e do Estado, o Ministério Público de Goiás e a Defensoria pública. Marconi lembrou que a PrevCom foi criada em 2015 com o objetivo de ter como seus segurados os servidores que ganham mais do que o regime geral da previdência privada. O objetivo era garantir que os servidores que entrassem a partir de 2016 não colocassem em risco a segurança financeira do Estado para arcar com as suas obrigações básicas: pagamentos de salários, 13º, pensões, aposentadorias, e os serviços públicos que são realizados. “É um sistema de previdência complementar estruturado de forma muito séria e competente”, afirmou.

O secretário da Fazenda, João Furtado, destacou que o Plano Goiás Seguro está habilitado a prestar serviços fora das fronteiras de Goiás, em qualquer unidade da federação, e atender os anseios dos servidores públicos do Brasil, sejam eles dos municípios, estados e até da União, por se tratar de um plano de adesão.

Marconi ressaltou, por fim, que diante da crise previdenciária e das adversidades que podem acometer a todos, o Plano Goiás Seguro é um importante passo na construção de uma nova cultura: uma cultura de poupança e de planejamento para o futuro.

A fundação foi instituída pela Lei nº 19.179/2015, de 29 de dezembro de 2015 e regulamentada pelo Decreto nº 8.709, de 26 de julho de 2016, sendo a primeira pela primeira fundação de previdência complementar da Região Centro-Oeste. O Plano Goiás Seguro foi aprovado pela Previc no dia 7 de julho de 2017. Desde esta data, todos os servidores que ingressarem no Governo de Goiás e em seus Poderes terão suas aposentadorias limitadas ao Regime Geral de Previdência, atualmente em R$ 5.645,80. A partir deste valor, de forma facultativa, poderão optar pela Previdência complementar.

O servidor efetivo que estiver enquadrado no Regime de Previdência Complementar e aderir ao Plano Goiás Seguro receberá, de forma paritária, a contrapartida do seu patrocinador em até 8,5% da base de contribuição que superar o teto do Regime Geral de Previdência Social. Entre os benefícios, o servidor que desejar poderá oferecer proteção a sua família, optando pelo seguro por invalidez ou morte, também oferecidos pela Prevcom-BrC.

Além disso, a fundação oferece incentivos fiscais, já que as contribuições poderão ser deduzidas no Imposto de Renda. Sem fins lucrativos, a Fundação de Previdência Complementar do Brasil Central oferece baixas taxas administrativas, que visam apenas a manutenção da entidade. A Prevcom-BrC é fiscalizada pela Previc, entidade vinculada ao Ministério da Fazenda.

Gabinete de Imprensa do Governador de Goiás


 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212