Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Lançado o Plano Goiás Seguro para combater o déficit previdenciário - Jornal Brasil em Folhas
Lançado o Plano Goiás Seguro para combater o déficit previdenciário


O governador Marconi Perillo lançou nesta sexta-feira, dia 16, o Plano Goiás Seguro, o primeiro pela Fundação de Previdência Complementar do Brasil Central (Prevcom – BrC), para combater o déficit previdenciário. Marconi ressaltou que, com essa medida, Goiás se antecipa à reforma da Previdência e mitiga os impactos do sistema previdenciário, “que a todo ano suga os cofres do Tesouro os recursos para bancar o déficit da Previdência, com o qual os servidores não conseguem arcar”.

“Essa é uma medida que vai resolver o problema no futuro. Agora, a reforma da Previdência será fundamental para resolver os problemas que já existiam há algumas décadas”, pontuou, defendendo, novamente, a reforma. “Para se resolver o rombo da Previdência, é preciso aprovar a reforma. Isso não pode ser tratado com populismo. Ou a gente resolve isso ou os servidores públicos daqui a algum tempo não vão receber suas aposentadorias”, ressaltou.

Pelo Goiás Seguro, o servidor efetivo que estiver enquadrado no regime de previdência complementar e aderir ao plano receberá, de forma paritária, a contrapartida do seu patrocinador. A contrapartida será em até 8,5% da base de contribuição que superar o teto do regime geral de previdência social. A instituição oferece uma alternativa segura de planejamento para o futuro do servidor.

Já aderiram ao plano os poderes Executivo e Legislativo, os tribunais de contas do município e do Estado, o Ministério Público de Goiás e a Defensoria pública. Marconi lembrou que a PrevCom foi criada em 2015 com o objetivo de ter como seus segurados os servidores que ganham mais do que o regime geral da previdência privada. O objetivo era garantir que os servidores que entrassem a partir de 2016 não colocassem em risco a segurança financeira do Estado para arcar com as suas obrigações básicas: pagamentos de salários, 13º, pensões, aposentadorias, e os serviços públicos que são realizados. “É um sistema de previdência complementar estruturado de forma muito séria e competente”, afirmou.

O secretário da Fazenda, João Furtado, destacou que o Plano Goiás Seguro está habilitado a prestar serviços fora das fronteiras de Goiás, em qualquer unidade da federação, e atender os anseios dos servidores públicos do Brasil, sejam eles dos municípios, estados e até da União, por se tratar de um plano de adesão.

Marconi ressaltou, por fim, que diante da crise previdenciária e das adversidades que podem acometer a todos, o Plano Goiás Seguro é um importante passo na construção de uma nova cultura: uma cultura de poupança e de planejamento para o futuro.

A fundação foi instituída pela Lei nº 19.179/2015, de 29 de dezembro de 2015 e regulamentada pelo Decreto nº 8.709, de 26 de julho de 2016, sendo a primeira pela primeira fundação de previdência complementar da Região Centro-Oeste. O Plano Goiás Seguro foi aprovado pela Previc no dia 7 de julho de 2017. Desde esta data, todos os servidores que ingressarem no Governo de Goiás e em seus Poderes terão suas aposentadorias limitadas ao Regime Geral de Previdência, atualmente em R$ 5.645,80. A partir deste valor, de forma facultativa, poderão optar pela Previdência complementar.

O servidor efetivo que estiver enquadrado no Regime de Previdência Complementar e aderir ao Plano Goiás Seguro receberá, de forma paritária, a contrapartida do seu patrocinador em até 8,5% da base de contribuição que superar o teto do Regime Geral de Previdência Social. Entre os benefícios, o servidor que desejar poderá oferecer proteção a sua família, optando pelo seguro por invalidez ou morte, também oferecidos pela Prevcom-BrC.

Além disso, a fundação oferece incentivos fiscais, já que as contribuições poderão ser deduzidas no Imposto de Renda. Sem fins lucrativos, a Fundação de Previdência Complementar do Brasil Central oferece baixas taxas administrativas, que visam apenas a manutenção da entidade. A Prevcom-BrC é fiscalizada pela Previc, entidade vinculada ao Ministério da Fazenda.

Gabinete de Imprensa do Governador de Goiás


 

Últimas Notícias

Submarino argentino é encontrado um ano e um dia após desaparecimento
Parlamento cubano rejeita resolução da Eurocâmara sobre direitos human
Incêndio da Califórnia registra 74 mortos e mais de mil desaparecidos
Livro mistura suspense e fantasia em reflexão sobre violência no país
EBC e Fundação Getulio Vargas firmam acordo para revitalizar acervo
Trabalho de escoramento em viaduto paulistano prossegue neste sábado
Belo Horizonte tem previsão de mais chuva; temporais já mataram quatro
Prefeito de Mariana diz que não desistirá de ação no Reino Unido

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212