Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


13 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Premiê britânica pede acordo urgente sobre segurança com UE pós-Brexit - Jornal Brasil em Folhas
Premiê britânica pede acordo urgente sobre segurança com UE pós-Brexit


A primeira-ministra britânica, Theresa May, insistiu neste sábado (17) na urgência de se negociar uma cooperação de segurança privilegiada entre o Reino Unido e a União Europeia (UE) após o Brexit, alertando que, sem isso, a segurança dos europeus ficará em perigo.

Esta não é uma época, na qual possamos permitir que nossa cooperação se veja inibida, que a segurança dos nossos cidadãos seja posta em perigo por uma competição entre sócios, rigidez institucional e ideologias arraigadas, advertiu durante a Conferência de Munique sobre Segurança.

Para May, europeus e britânicos não podem adiar essa discussão e devem urgentemente elaborar um tratado para proteger todos os cidadãos europeus.

Esse acordo deve estabelecer mecanismos para organizar o respeito da soberania de cada país e prever que as jurisdições europeias sejam competentes em alguns casos, e as britânicas, em outros, detalhou a premiê.

Devemos fazer o que for mais útil, mais pragmático para garantir nossa segurança coletiva, acrescentou.

O ministro alemão das Relações Exteriores, Sigmar Gabriel, que falou antes de May, tentou se mostrar conciliador, apontando que o Reino Unido, durante décadas, contribuiu para as capacidades, tradições e pensamento da União Europeia.

Devemos tentar manter relações tão estreitas e produtivas quanto possível após o Brexit, defendeu.

O Reino Unido abandona a UE, mas não abandona a Europa, nem a ordem liberal ocidental, insistiu Gabriel.

- Não há guerra contra Londres -

O primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, também disse confiar na manutenção desse laço com o Reino Unido e no desenvolvimento da Europa da Defesa.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, reiterou, por sua vez, que os europeus não estão em guerra contra Londres e querem conservar essa ponte de segurança, essa aliança de segurança com os britânicos.

Mas não quero que coloquem no mesmo cesto as questões sobre a política de segurança e as questões comerciais, advertiu Juncker, depois de May já ter sido criticada por parecer querer vincular a cooperação em matéria de segurança - terreno no qual Londres tem um papel crucial na Europa - a um acordo comercial privilegiado com a UE.

As negociações entre britânicos e europeus parecem em ponto morto atualmente. O Reino Unido ainda não definiu sua postura sobre as futuras relações comerciais e tampouco está de acordo sobre as modalidades do período de transição reivindicadas para depois do Brexit. No cronograma atual, a conclusão da saída está prevista para 29 de março de 2019.

- Criatividade real -

Segundo May, manter uma associação estreita entre a UE e o Reino Unido pós-Brexit seria uma ambiciosa decisão, sem precedentes.

Já existem em outros terrenos, como comércio, relações estratégicas entre a UE e outros países, afirmou.

E não há qualquer razão jurídica, ou operacional que impeça um acordo em matéria de segurança interna, completou.

A premiê ressaltou que o fim da participação britânica nos mandados europeus de detenção, ou na Europol, prejudicaria muito a eficácia da luta europeia contra o terrorismo, o crime organizado e a cibercriminalidade.

May pediu que as lideranças de ambos os lados mostrem vontade política e criatividade real.

Por último, prometeu que Londres respeitará todas as sanções internacionais adotadas quando era membro da UE e poderá continuar, se for necessário, participando de operações europeias no exterior.

Na sexta-feira (16), os diretores dos serviços de Inteligência Estrangeira britânicos (MI6), franceses (DGSE) e alemães (BND) se manifestaram em conjunto - o que é incomum - para garantir que o Brexit não prejudicará sua cooperação.

Mesmo depois da saída do Reino Unido da UE deve-se manter uma estreita cooperação e continuar compartilhando informação entre os Estados em questões de terrorismo internacional, de imigração clandestina, de proliferação e de ciberataques, afirmaram em um comunicado conjunto divulgado na página on-line do BND, por ocasião da Conferência de Munique.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212