Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 América Latina deve manter portas abertas a refugiados, diz funcionário da ONU - Jornal Brasil em Folhas
América Latina deve manter portas abertas a refugiados, diz funcionário da ONU


O alto comissário da ONU para os Refugiados, Filippo Grandim elogiou o Brasil por receber milhares de venezuelanos que fogem da crise em seu país e prometeu mobilizar a comunidade internacional para melhorar a resposta a esta crise migratória.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) estima que cerca de 24 mil venezuelanos solicitaram refúgio ao Brasil, afirmou Grandi, no primeiro dia de reuniões, nesta segunda-feira (19), em Brasília.

O Brasil está coordenando e liderando uma resposta exemplar para ajudar aos venezuelanos que cruzam a fronteira para o estado de Roraima (...). O povo e o governo do Brasil são campeões da causa dos refugiados, garantiu Grandi em declaração à imprensa.

O Brasil reforçou sua presença militar e declarou estado de emergência social em Roraima para atender aos 40 mil venezuelanos instalados em Boa Vista, equivalentes a 10% de sua população

Grandi afirmou que a Acnur apoia plenamente as ações do governo, tanto em assistência humanitária, quanto nos planos de redistribuição dos venezuelanos para outros estados brasileiros nos próximos meses.

O funcionário da ONU disse que prometeu ao presidente Michel Temer pedir à comunidade internacional que ajude o Brasil em sua resposta a essa situação.

A crise da Venezuela afundou a potência petroleira regional em uma catástrofe financeira e política que isolou o presidente Nicolás Maduro, cujo governo é qualificado de ditadura por Estados Unidos e Colômbia.

A Colômbia reportou no mês passado que mais de meio milhão de venezuelanos entraram legal ou ilegalmente no país.

Enquanto a Argentina afrouxou seus requisitos de imigração para os cidadãos do país caribenho, 14 nações da região pediram a Caracas que habilite um corredor humanitário para ajudar a aliviar o desabastecimento de bens e serviços vitais.

O alto comissário afirmou que, na América Latina, a proteção dos refugiados sempre foi bem desenvolvida, tanto na legislação, como na prática e pediu aos países da região para não baixar a guarda nesta defesa.

Grandi se reuniu com delegados de 36 países latino-americanos, que vão elaborar um documento com as contribuições da região para a confecção, neste ano, de um Pacto Global sobre Refugiados.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212