Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Relator do decreto de intervenção pede remanejamento de verbas para ações no Rio - Jornal Brasil em Folhas
Relator do decreto de intervenção pede remanejamento de verbas para ações no Rio


O relator no Senado do decreto de intervenção federal no Rio de Janeiro, Eduardo Lopes (PRB-RJ), defendeu o remanejamento de recursos para que a operação de combate à violência no estado tenha eficácia. Após ser anunciado pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira, Eduardo Lopes leu em plenário o parecer recomendando a aprovação do decreto, assinado na sexta-feira (16) passada pelo presidente Michel Temer.

Não dá para começar uma operação com esta magnitude e, no meio, a gente dizer que não alcançamos o que queríamos por falta de recursos. Se há um estado de exceção, então temos que dar todo empenho e sacrifício necessário para realizar este trabalho, afirmou o parlamentar, cuja base eleitoral é do Rio de Janeiro, a exemplo da relatora da votação de ontem na Câmara, deputada Laura Carneiro (MDB).

No parecer, o senador reconhece que a intervenção é um ato excepcional e “não pode ser banalizado”. Segundo ele, o decreto vai permitir que sejam garantidos direitos constitucionais como vida, liberdade, segurança e propriedade. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, acompanha a sessão no plenário do Senado.

“A situação atingiu patamar que exige que o Estado brasileiro abra mão de todos instrumentos. Sabemos que ela não é exclusiva do Rio de Janeiro. Há altos índices de violência em outros estados, mas sem dúvida a situação do Rio repercute muito mais, tanto internamente como internacionalmente”, argumentou, acrescentando exemplos de insegurança no estado, como o assalto a um carrinho de cachorro quente com pessoas portando um fuzil.

Segundo o senador, caso o decreto seja aprovado, o Congresso Nacional vai fiscalizar, por meio de um observatório, a concretização do planejamento, que ainda está sendo preparado pelo interventor nomeado por Temer, o general Walter Braga Netto.

O general disse que o Estado-Maior [das Forças Armadas], a partir do momento da assinatura, estava trabalhando no planejamento minucioso da operação. E o que foi acrescentado é que temos que pensar não só no Rio, capital, mas na Baixada, na região metropolitana e em todo estado. A partir do momento em que assina o decreto e ele não se torna efetivo, você dá tempo para que os criminosos se organizem e até fujam para outro lugar, disse Eduardo Lopes.

De acordo com ele, Laura Carneiro sugeriu a edição de uma medida provisória ou outro projeto tratando especificamente da questão dos recursos.

Trâmite

Após a leitura do parecer, serão concedidas cinco falas a favor e cinco contra o decreto. Embora seja prerrogativa presidencial, a intervenção federal em estados brasileiros precisa ser referendada pelo Poder Legislativo.

A votação de ontem na Câmara durou mais de seis horas e contou com manobras de obstrução por parte de deputados oposicionistas.

Eu vejo a intervenção como necessária e importante para o estado. Não dá para viver e ver a sociedade vivendo uma paranoia e refém daquilo que vemos lá no dia a dia, com arrastões, assaltos. Enfim, a violência é muito grande, adiantou Eduardo Lopes.

Edição: Denise Griesinger

 

Últimas Notícias

Saúde libera recursos para atender moradores da região de Brumadinho
Justiça determina prisão preventiva de acusado de espancar paisagista
Irmão de mulher espancada diz que ainda está chocado com a violência
Flamengo pede mais prazo para decidir sobre indenização de vítimas
Profissionais que atuaram em Brumadinho serão monitorados
Auditores descobrem 158 Kg de cocaína na fronteira com a Bolívia
Governo determina medidas de precaução para barragens em todo o país
Bolsonaro irá ao Congresso entregar texto da reforma da Previdência

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212