Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Carta das Nações Unidas continua atual, dizem líderes da ONU - Jornal Brasil em Folhas
Carta das Nações Unidas continua atual, dizem líderes da ONU


Em reunião de alto nível no Conselho de Segurança da ONU nesta quarta-feira (21), o atual chefe das Nações Unidas, António Guterres, e o seu antecessor, Ban Ki-moon, afirmaram que a Carta da organização, assinada em 1945, continua atual e sendo um guia para paz e segurança internacionais. A informação é da ONU News.

A reunião ministerial de hoje no Conselho de Segurança coincide com o 27º aniversário da expulsão das forças iraquianas do Kuwait por uma coligação internacional autorizada pelo Conselho de Segurança, em 1991.

Em seu discurso, Guterres disse que “os propósitos e princípios da Carta da ONU respondem aos desafios de hoje de forma tão firme como respondiam às pessoas que tinham vivido uma das guerras mais horríveis que o mundo já tinha visto.” Ele frisou contudo que o planeta agora enfrenta novos desafios e que as forças por trás dos conflitos são mais complexas “e que, por isso, as Nações Unidas têm de mudar”.

O secretário-geral explicou, no entanto, que as reformas previstas, incluindo nas áreas da paz, segurança, desenvolvimento e gestão, apenas pretendem tornar a organização mais eficiente no cumprimento da visão da Carta. O desafio da migração, assim como as ameaças das mudanças climáticas e a desigualdade vão testar o documento basilar da ONU e a capacidade de garantir um mundo melhor para todos, segundo Guterres.

Reforma do Conselho

O ex-secretário-geral Ban Ki-moon, que deixou o posto em dezembro de 2016, também falou ao Conselho de Segurança e destacou em seu discurso que a reforma do órgão já deveria ter acontecido há muito tempo. “Para responder de forma eficiente aos desafios de segurança nacionais e transnacionais, como mudança climática, extremismo violento, insegurança transfronteiriça e terrorismo, o Conselho de Segurança deve fazer reformas que tornem o seu processo de decisão mais flexível,” frisou.

O ex-chefe da ONU, que é sul-coreano, disse ainda que a situação na Península Coreana “é o mais sério e eminente desafio que o mundo enfrenta neste momento”. Ele afirmou que o mundo “deve preparar-se para uma era pós-Estado Islâmico no Oriente Médio”.

Ban Ki-moon acredita que apenas quando a comunidade internacional desenvolver “soluções para estes problemas através de meios pacíficos, será possível fazer cumprir os princípios e propósitos consagrados da Carta da ONU.”

Edição: Augusto Queiroz

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212