Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Qual o risco do atraso na reforma da Previdência para o Tesouro Direto? - Jornal Brasil em Folhas
Qual o risco do atraso na reforma da Previdência para o Tesouro Direto?


SÃO PAULO - A suspensão na votação da reforma da Previdência devido a intervenção federal no Rio de Janeiro não sepultou a alteração nas regras da aposentadoria, segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, mas a discussão será atrasada até o fim de 2018. Isto porque a intervenção deve durar até 31 de dezembro e a lei brasileira proíbe a aprovação de emendas à Constituição enquanto ela estiver em vigor.

Com uma eleição presidencial no meio do caminho, a pausa abre discussões sobre se a reforma previdenciária será efetivamente aprovada nos próximos anos.

O professor do InfoMoney, Alan Ghani, fala sobre os riscos dessa questão ser empurrada por mais anos e seus impactos nos títulos do Tesouro Direto e seus investidores no programa “Tesouro Direto com Ganhos Turbinados”, apresentado toda quinta-feira às 14h15 na InfoMoneyTV.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F): o investidor também sabe exatamente quanto receberá no momento da compra, mas o fluxo de pagamento é diferente: nesse título público, o investidor recebe pagamentos a cada seis meses, que funcionam como uma antecipação da rentabilidade contratada.

Tesouro Selic (LFT): esse é um título público em que o rendimento é totalmente atrelado à taxa Selic, o que normalmente é indicado para investidores de perfil mais conservador. Essa taxa tem a sua meta definida pelo Copom (Comitê de Política Monetária), a cada 45 dias, e que hoje está em 6,75% ao ano. O pagamento é feito apenas após a data de vencimento.

Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal): a rentabilidade desse título público é dividida em duas partes: uma parcela prefixada e outra parcela atrelada ao IPCA, o índice oficial de inflação usado pelo Governo. Essa composição garante que o investidor sempre terá um retorno acima da inflação, e por isso costuma ser indicado para aplicações de longo prazo. O pagamento é feito apenas após a data de vencimento.

Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B): Semelhante ao IPCA+, a rentabilidade também é dividida entre uma taxa prefixada e a variação do IPCA, mas com a diferença de que o Tesouro Nacional realiza pagamentos semestrais, para quem busca complementar a renda com os títulos públicos.

 

Últimas Notícias

Retomada sessão para discutir projeto Escola sem Partido
Discussão sobre Escola sem Partido é novamente suspensa na Câmara
Estudantes de escola pública criam dicionário de línguas indígenas
Embaixador da Noruega se diz aberto ao diálogo com o governo eleito
PF inaugura Delegacia de Imigração no Aeroporto Santos Dumont
Deslizamento em Niterói era difícil de prever, diz serviço geológico
EBC debate preservação e difusão de acervos audiovisuais
União vai assumir administração do sistema prisional de Roraima

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212